PGR solicita que STF regulamente expropriação de terras ligadas a trabalho escravo

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

O Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu nesta terça-feira, 27, um pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, para regulamentar o art. 243 da Constituição Federal e estabelecer uma norma de expropriação de propriedades rurais e urbanas utilizadas para a exploração de trabalho análogo à escravidão. A solicitação foi feita por meio de Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão, recurso utilizado quando há omissão do poder público em atuar sobre obrigações constitucionais. De acordo com o procurador, há um desinteresse do Congresso Nacional sobre tema, evidenciado pela falta de ação, uma vez que a previsão segue há oito anos sem movimentação efetiva no Legislativo. A ação solicita que o STF defina um prazo para que os parlamentares deliberem e concluam o processo legislativo sobre a expropriação das terras em favor da reforma agrária e de programas de habitação popular, além de confiscar valores econômicos apreendidos em relação a esta prática. O documento ainda solicita medida cautelar para aplicar a lei que regulamenta culturas ilegais de plantas psicotrópicas e o tráfico ilícito de entorpecentes e de drogas afins, enquanto não houver decisão do Congresso. O pedido foi atribuído ao ministro Luiz Fux.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Juiz arquiva investigação sobre Haddad por suspeita de caixa 2 nas eleições de 2012

A Justiça Federal em São Paulo decretou o arquivamento de uma investigação policial sobre o ministro da Fazenda Fernando Haddad por suspeita de caixa 2 nas eleições municipais de 2012 - na ocasião, o petista disputou e venceu o pleito, derrotando o tucano José Serra na corrida à Prefeitura da Capital. A decisão judicial acolhe

PF mira trama golpista em depoimento conjunto de Bolsonaro e outros 22

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) prestou depoimento na tarde desta quinta-feira (22) à Polícia Federal sobre os planos discutidos no fim de 2022 para um golpe de Estado contra a eleição de Lula (PT) à Presidência da República. O depoimento foi marcado para iniciar às 14h30. Ex-ministros, ex-assessores, militares e aliados

Bolsonaro pode ser preso se incitar crime durante ato no domingo na avenida Paulista

(FOLHAPRESS) - Jair Bolsonaro (PL) pode ser preso se fizer apologia ou incitação ao crime durante manifestação convocada por ele na avenida Paulista, em São Paulo, neste domingo (25), afirmam especialistas. Os profissionais, entretanto, divergem sobre se a mera convocação do ato já poderia ensejar uma prisão preventiva, uma vez que o ex-presidente é investigado