Putin e Xi Jinping se encontram em momento de grande tensão com o Ocidente

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos
encontro china e russia

Dois dias após a China anunciar que deseja trabalhar com Moscou para implementar continuamente o espírito da cooperação estratégica de alto nível entre os dois países, além de anunciar o interesse em criar uma ordem mundial mais justa e racional, o presidente chinês, Xi Jinping, e o russo, Vladimir Putin, se reuniram nesta quinta-feira, 15, na cidade uzbeque de Samarkand, à margem de um encontro de cúpula com outros líderes da região considerada um contrapeso à influência global do Ocidente. O presidente russo elogiou a postura do chinês diante do conflito na Ucrânia, �??valorizamos muito a posição equilibrada de nossos amigos chineses quando se trata da crise da Ucrânia�?� e criticou os Estados Unidos, que lideram a ajuda militar à Ucrânia, bem como as sanções internacionais contra Moscou. �??As tentativas de criar um mundo unipolar tomaram recentemente uma forma absolutamente horrível e são completamente inaceitáveis�?�, disse Putin. �??Apreciamos muito a posição equilibrada de nossos amigos chineses em relação à crise ucraniana�?�, acrescentou.

O chinês, por sua vez, que realizou sua primeira viagem internacional desde que a pandemia de Covid-19 começou, vê esse encontro como uma oportunidade de exibir suas credenciais como dirigente global antes do importante congresso do Partido Comunista em outubro, no qual buscará o terceiro mandato. �??A China está disposta a fazer esforços com a Rússia para assumir sua responsabilidade de grandes potências, e assumir o papel de guia para injetar estabilidade e energia positiva em um mundo caótico�?�, disse. A principal reunião acontecerá na sexta-feira, mas o evento que gera mais interesse é a reunião entre os líderes da Rússia e da China. Durante este primeiro contato, o presidente russo reiterou o apoio de Moscou a Pequim em relação a Taiwan, onde as visitas de autoridades americanas nas últimas semanas atraíram a ira chinesa. �??Condenamos a provocação dos EUA�?�, disse ele, enfatizando que Moscou adere ao princípio �??uma China�?�, segundo o qual Taiwan é parte integrante do território chinês. Em um sinal de sua reaproximação diante das tensões ocidentais, navios russos e chineses realizaram uma patrulha conjunta no Oceano Pacífico na quinta-feira para �??fortalecer sua cooperação marítima�?�. De acordo com a mídia estatal em Pequim na quinta-feira citando o presidente Xi, a China está disposta a apoiar a Rússia sobre �??os interesses fundamentais�?� de ambos os países.

Desde que o conflito na Ucrânia aconteceu, a China não condenou a invasão, porém também não demonstrou apoio abertamente a Putin. Contudo, desenvolveu laços econômicos e estratégicos com a Rússia nesses meses de conflito e Xi expressou apoio à �??soberania e segurança�?� do gigante eurasiano. A SCO, formada por China, Rússia, Índia, Paquistão, Cazaquistão, Uzbequistão, Quirguistão e Tajiquistão, foi fundada em 2001 como uma organização política, econômica e de segurança para rivalizar com as instituições ocidentais. Não é uma aliança militar formal como a Otan ou um bloco integrado como a União Europeia, mas seus membros trabalham juntos em questões de segurança, cooperação militar e promoção comercial. �??A OCX oferece uma alternativa real às organizações centradas no Ocidente�?�, disse o conselheiro de política externa do Kremlin, Yuri Ushakov, esta semana.

*Com informações da AFP

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

EUA voltam a pousar na Lua após 50 anos

O módulo lunar Odysseus, da empresa privada norte-americana Intuitive Machines, pousou na Lua nesta quinta-feira, 22, após uma jornada de quase oito dias. Esta é a primeira sonda de empresa privada dos EUA a alunissar na Lua e também marca o retorno dos EUA após 50 anos da missão Apollo 17, em dezembro de 1972.

Biden se encontra com viúva de Navalny; Casa Branca pede corpo de opositor

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, teve um encontro nesta quinta-feira, 22, com a viúva e a filha de Alexei Navalny, ativista russo que faleceu em uma prisão no Ártico nesta semana. A reunião ocorreu em São Francisco, na Califórnia, e foi organizada pela Casa Branca. No encontro, eles discutiram sobre questões políticas

Putin fez 17 ataques com mísseis e drones por dia na guerra, diz Ucrânia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em quase dois anos de guerra, que serão completados no sábado (24), a Rússia lançou uma média de 17 ataques aéreos com mísseis e drones por dia contra a Ucrânia. A conta foi apresentada nesta quinta (22) pelo porta-voz da Força Aérea de Kiev, Iurii Ihnat. Ele somou 12.630 ataques