Ciro Nogueira enaltece papel de Guedes na eleição de brasileiro para o BID

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI) disse, neste domingo (20/11), que a eleição do brasileiro Ilan Goldfajn para a presidência do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) passa por uma articulação que teve a participação de Paulo Guedes, ministro da Economia do governo de Jair Bolsonaro (PL). Segundo Nogueira, Carlos França, ministro das Relações Exteriores, também ajudou a impulsionar a candidatura de Goldfajn.

“Pela primeira vez na história, o presidente do BID é brasileiro! Ilan Goldfajn foi eleito hoje para o comando do Banco. Parabéns ao novo presidente e também aos ministros Paulo Guedes e Carlos França pelo excelente trabalho de articulação para essa grande realização para o Brasil”, afirmou Nogueira, via Twitter. Goldfajn teve mais de 80% dos votos válidos na eleição interna do BID.

O banco é responsável por apoiar projetos de desenvolvimento nas Américas. Guedes, de fato, referendou a candidatura de Goldfajn, presidente do Banco Central sob a gestão de Michel Temer (MDB). No mês passado, o ministro da Economia conversou sobre o tema com lideranças internacionais. Ele aproveitou reuniões do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, em Washington, nos Estados Unidos, para defender a indicação do compatriota à chefia do BID.

O vencedor concorreu com outros quatro candidatos: a argentina Cecilia Todesca Bocco, secretária de Relações Econômicas Internacionais da chancelaria do país; o mexicano Gerardo Esquivel, um dos diretores do Banco Central do país; o chileno Nicolás Eyzaguirre, ex-ministro da Economia; e Gerard Johnson, de Trinidad e Tobago, ex-funcionário do BID.

Alckmin: Lula está disposto a dialogar com o BID

Parte do entorno do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), como Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda, defendia a apresentação de outra candidatura. Mantega tentou, inclusive, o adiamento da eleição do BID – sem sucesso.

Por outro lado, houve interlocutores simpáticos a Lula que embarcaram na campanha pró-Goldfajn. Henrique Meirelles, outro ex-ministro da Fazenda, disse que a escolha do brasileiro é “vitória para o país”.

Hoje, o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), parabenizou Goldfajn. “Pela primeira vez, o BID terá um brasileiro no seu comando. Parabenizo o novo presidente Ilan Goldfajn pela vitória e, em nome do presidente Lula, reforço a disposição do Brasil em estreitar os laços com o banco pelo desenvolvimento econômico e social da nossa região”, garantiu.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Estados do Sul e Sudeste assinam pacto contra o crime organizado

Estados do Sul e do Sudeste firmaram no sábado, dia 2, um Pacto Regional de Segurança Pública para enfrentar o crime organizado. Um gabinete integrado de inteligência será criado para compartilhar informações e os policiais farão cursos conjuntos para aumentar a integração entre as forças de segurança e padronizar procedimentos e técnicas. O pacto propõe

Ministros do STF veem ilegalidade em anistia a Bolsonaro e preveem derrubada de medida

MATHEUS TEIXEIRABRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) afirmam nos bastidores que não há chance de uma possível anistia a Jair Bolsonaro (PL) ou a condenados por participação nos ataques de 8 de janeiro ter validade e ser implementada para livrar o ex-presidente e seus aliados de eventual julgamento na corte.

Barbeiro de 20 anos é condenado a 11 anos e seis meses de prisão por participar do 8 de Janeiro

O Supremo Tribunal Federal (STF) condenou nesta sexta-feira, 1º, o barbeiro piauiense João Oliveira Antunes Neto a 11 anos e seis meses de prisão por participação nos atos golpistas de 8 de Janeiro. Antunes Neto tem 20 anos, e além de barbeiro, se identifica como um "jovem cristão pregador do evangelho de Jesus Cristo". O