Contas de Nikolas Ferreira, o deputado federal mais votado do Brasil, são suspensas no Twitter e Instagram

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Nikolas Ferreira, o deputado federal mais votado do Brasil e de Minas Gerais nas eleições de outubro, perdeu suas contas nas redes sociais Twitter e Instagram na noite desta sexta-feira, 4. As suspensões aconteceram por medida judicial após o deputado divulgar conteúdos em que alegava fraude no sistema eleitoral. Nikolas repostou a live feita pelo argentino Fernando Cerimedo em que ele diz que versões anteriores ao modelo 2020 da urna eletrônica não seriam auditáveis e contabilizaram menos votos para o presidente Jair Bolsonaro (PL).  “Eu basicamente transcrevi o que o argentino disse no Twitter e provavelmente foi por isso que derrubaram minha conta, com quase 2 milhões de seguidores”, disse o deputado no Instagram pouco antes de sua conta cair. Perfis reservas também foram suspensos. As Forças Armadas assinaram a zerésima dos sistemas de totalização de votos no último domingo. O documento serve para comprovar que não há nenhum voto computado na máquina antes do início da votação. Além de Nikolas, o deputado federal por Goiás, Gustavo Gayer, também teve suas redes derrubadas.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Boulos tem 35,6%; Nunes, 33,7%; Tabata, 14,7%; e Kim, 9,4% em São Paulo, diz pesquisa Atlas

O deputado federal Guilherme Boulos (PSOL) tem 35,6% das intenções de voto para a Prefeitura de São Paulo, contra 33,7% do atual prefeito, Ricardo Nunes (MDB), aponta a pesquisa Atlas/CNN Brasil divulgada nesta quarta-feira, 24. Ambos estão tecnicamente empatados dentro da margem de erro de 2,5 pontos porcentuais (p.p.). A terceira colocada é a deputada

Moraes arquiva ação de suposto asilo de Bolsonaro na Embaixada da Hungria

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes concluiu que não há evidências que comprovem que Jair Bolsonaro (PL) buscou asilo na Embaixada da Hungria, em Brasília, em fevereiro deste ano. Como revelou o The New York Times, o ex-presidente passou dois dias na missão diplomática em Brasília

Projeto que libera estados legislarem sobre armas avança na Câmara

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados aprovou na tarde desta quarta-feira (24) um projeto de lei complementar que concede poderes aos estados para formular leis e flexibilizar as atuais regras de porte de armas, num revés para o governo Lula (PT). De autoria da presidente da