Lula em Portugal: ‘Bolsonarismo está vivo, mas vamos derrotá-lo’

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto
Durante encontro com a comunidade brasileira de Lisboa, em Portugal, no Iscte (Instituto Universitário de Lisboa), o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que o presidente Jair Bolsonaro (PL) “não soube perder” as eleições e disse que embora bolsonarismo esteja vivo, irá derrotá-lo. A declaração foi dada na manhã deste sábado (19/11). 
Para o petista, o fato de Bolsonaro não reconhecer claramente a derrota nas eleições, fez com que a extrema direita entrasse em um processo de violência, referência aos que contestam o resultado da eleição presidencial. Lula ainda afirmou que irá derrotar o bolsonarismo sem perseguição ou violência, pois o que ele deseja é um país que viva em paz. 
 
  • Leia: Após se indispor com o mercado, Lula diz que vai respeitar regras fiscais
“A democracia é uma sociedade em movimento. Quem ganha ri, quem perde chora […]. Me parece que quem foi derrotado agora não soube perder e terminou em um processo que a gente não conhecia no Brasil, que é o processo da violência da extrema direita. Eu nunca vi a esquerda praticar 10% das imprudências que a extrema direita está fazendo no Brasil. Nunca vi. Eu acho que é importante ter em conta que a gente derrotou o Bolsonaro e ganhou as eleições, mas o radicalismo, a ignorância e o bolsonarismo ainda estão vivos e nós precisamos derrotar. Mas vamos derrotá-lo sem utilizar os métodos que utilizam contra nós. A  gente não quer perseguição. Não quer violência. A gente quer um país que viva em paz”, disse Lula no encontro. 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Só governadores do PL foram ao ato de Bolsonaro em Copacabana

Não foi apenas o público ontem que esteve abaixo de outros atos promovidos por Jair Bolsonaro. O peso do palanque também diminuiu em Copacabana em relação às manifestações anteriores promovidas pelo ex-presidente. Ao decidir usar sua presença para promover candidaturas do PL às próximas eleições municipais, Bolsonaro não conseguiu levar ao Rio governadores que estiveram

Diálogo com o Congresso continua e ofensa vinda de Lira é ‘episódio superado’, diz Padilha

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, reiterou que o diálogo entre o Planalto e o Congresso Nacional continua e disse que a tensão entre ele e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) é um "episódio superado". Em entrevista à CNN Brasil, Padilha foi questionado sobre o atrito entre ele e Lira

Aliados de Lula minimizam ato de Bolsonaro no Rio; STF, militares e Pacheco silenciam

(FOLHAPRESS) - Aliados e ministros do governo Lula (PT) minimizaram o impacto do ato de Jair Bolsonaro (PL) em Copacabana, no Rio de Janeiro, neste domingo (21). Alvos dessa manifestação, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), optaram pelo silêncio. Integrantes do primeiro escalão do governo