Lázaro Ramos, Marieta Severo e Emicida recusam assumir Ministério da Cultura de Lula

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

O governo do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), já convidou quatro artistas para assumir o Ministério da Cultura a partir de 2023. Porém, três deles recusaram os convites, sendo eles: Lázaro Ramos, Marieta Severo e Emicida. De acordo com o Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias, a quarta artista é Margareth Menezes, que ainda não respondeu o convite.

 

Em todos os casos de recusa, foi explicado que a classe artística prefere que seja um gestor à frente do ministério, diante dos desafios que o ministro ou a ministra terá para reconstruir a pasta.

 

LEIA TAMBÉM:

Presidente do PT-BA afirma que Rui Costa deve assumir Casa Civil no governo Lula 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Bolsonaro chega acuado a ato e busca demonstrar força política contra investigações

MARIANNA HOLANDA E GABRIELA BILÓBRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Jair Bolsonaro (PL) aposta mais uma vez numa manifestação na avenida Paulista, em São Paulo, para tentar demonstrar seu capital político. Neste domingo (25), o ex-presidente tem como principal objetivo apresentar um retrato de que mantém apoio popular e, dessa forma, reagir ao avanço das investigações sobre

Influenciador português que entrevistou Bolsonaro diz ter sido detido pela PF no Brasil

O influenciador português Sérgio Tavares, que recentemente entrevistou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em uma live em seu canal no YouTube, postou um vídeo em seu perfil no X (antigo Twitter) em que diz ter sido detido pela Polícia Federal (PF) no Aeroporto de Guarulhos (GRU) ao desembarcar no Brasil, na manhã deste domingo, 25.

Em último ato na Paulista, Bolsonaro chamou Moraes de canalha e atacou urnas e o STF

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deve discursar na tarde deste domingo, 25, em um ato convocado após ele se tornar alvo de investigação sobre tentativa de golpe de Estado. A manifestação vai ocorrer na Avenida Paulista, em São Paulo, uma via pública conhecida como palco de atos políticos - e não será a primeira vez