STJ cassa decisão que anulava condenação de Farah

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto
Uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) retomou o julgamento e aumentou a pena, de 14 para 16 anos, de Luciano Farah e do ex-policial militar Edson Nogueira, responsáveis pelo assassinato de Anderson de Carvalho no Bairro Chácaras Campestre, em Contagem, na Região Metropolitana de BH. 
A vítima foi morta com 16 tiros, em 15 de janeiro de 2002, após ser acusada de assaltar e roubar R$ 390 de um posto de combustíveis de Farah. O empresário e o ex-policial, que seria segurança do mandatário, foram condenados em 2016, mas a pedido da defesa, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) anulou o processo.
O ministério público (MPMG) recorreu da decisão no STJ, que reconheceu a validade do julgamento e autorizou a análise dos argumentos apresentados para aumentar as penas dos criminosos.
Na última terça-feira (6/12), a 2ª Câmara Criminal do TJMG retomou o julgamento, mantendo a condenação da dupla e aumentando a pena dos réus.

Dupla assassinou promotor de Justiça

Dez dias depois de matar Anderson, Farah e Edson, também, assinaram o promotor de Justiça Francisco Lins do Rêgo, conhecido como Chico Lins. Pelo crime, a dupla foi condenada em 2004 pelo Tribunal do Júri, o julgamento chegou a ser anulado, mas em 2009 eles foram condenados novamente a penas de 21 e 23 anos de prisão.
O membro do MPMG estava à frente de uma força-tarefa que investigava a máfia dos combustíveis, que era composta por donos de postos que tinham esquemas de fraude na composição química da gasolina e sonegar impostos.
 
*Estagiário sob supervisão do subeditor Eduardo Oliveira

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Feriadão com chuvas exige atenção em dobro nas estradas

Os mineiros que pretendem sair do estado ou viajar por Minas para aproveitar o feriado prolongado de Finados vão encontrar estradas mais cheias a partir de hoje. A movimentação exige atenção redobrada, seja nos trechos historicamente perigosos (confira quadro), seja naqueles aparentemente mais tranquilos. A atenção deve ser redobrada nas retas, nos trechos com buracos

Onde a morte não é o fim da vida

  O Museu de Ciências Morfológicas (MCM) da UFMG é responsável pela extensão entre o estudo de células, embriões, tecidos e anatomia com toda a comunidade da capital. Fundado há 27 anos pela professora Maria das Graças Ribeiro, o museu é focado no ser humano, com a maioria da exposição sendo composta por materiais reais.

Chuva: Sete Lagoas registra alagamentos e pessoas desalojadas

O município de Sete Lagoas, na Região Metropolitana de BH, foi atingido por fortes chuvas no fim da tarde desta terça-feira (31/10). Há registro de moradores desalojados e alagamento em muitas avenidas. Segundo o Corpo de Bombeiros, uma pessoa chegou a ficar ilhada, porém, conseguiu sair do local sozinha.  Cerca de dez casas, localizadas no