Embratur: Freixo vai analisar contratos e nomeações de Gilson Machado

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

O novo presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), o deputado Marcelo Freixo, anunciou que o primeiro passo será passar um “pente-fino” em contratos, nomeações e promoções feitas pelo antigo governo nos últimos meses de 2022, quando o bolsonarista Gilson Machado esteve no comando da instituição.

A iniciativa contará com apoio de órgãos de controle e combate à corrupção, como Tribunal de Contas da União (TCU), Controladoria Geral da União (CGU) e Advocacia Geral da União (AGU).

“Faremos uma gestão técnica e transparente, com base nas boas práticas do mercado. Vamos retomar o foco em marketing, promoção e apoio à comercialização do Brasil no exterior, com base em inteligência de dados e big data, parcerias com os setores público e privado, investimentos em inovação, inserção da agenda de sustentabilidade e ações climáticas e foco em resultados”, disse Freixo.

Freixo  também destacou que seus objetivos em frente à agência serão recuperar a imagem do Brasil no exterior para atrair mais turistas, trazer investimentos e criar empregos no país.

“Além de integrar nossas ações à agenda de política externa e de vários ministérios do governo Lula, retomaremos o diálogo com o mercado e as entidades que desenvolvem ações de promoção internacional. Vamos construir uma Embratur moderna, profissional, eficiente e comprometida com o desenvolvimento sustentável”, ressaltou.

***foto-marcelo-freixo-psb-candidato-governo-rj

Marcelo Freixo (PSol) – Marcelo Ribeiro Freixo nasceu em 12/04/1967, em São Gonçalo (RJ). Ele é professor, deputado federal e candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSol)Valter Campanato/Agência Brasil

Deputado Marcelo Freixo participa de reunião na Residência Oficial de Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados

Deputado Marcelo FreixoRafaela Felicciano/Metrópoles

Marcelo Freixo

Reprodução/CNN

marcelo freixo e lula

marcelo freixo e lulaReprodução

Freixo promete se reunir com ministros cuja atuação está relacionada ao órgão. Segundo ele, serão encontros com as ministras Marina Silva (Meio Ambiente e Mudança do Clima), Margareth Menezes (Cultura), Ana Moser (Esportes), Fernando Haddad (Fazenda), Geraldo Alckmin (Indústria e Comércio) e Mauro Vieira (Relações Exteriores).

Sanfoneiro do BolsonaroA Embratur estava sob gestão de Gilson Machado, ex-ministro do Turismo, nomeado pelo então presidente Jair Bolsonaro (PL) em 18 de novembro de 2022.

Gilson é conhecido como “sanfoneiro do Bolsonaro”. Ele foi exonerado do primeiro escalão do governo em março de 2022 para disputar uma vaga ao Senado Federal pelo estado de Pernambuco. O então candidato, porém, perdeu as eleições para a pedagoga Teresa Leitão, do PT.

Foi a segunda vez que Gilson Machado assumiu o comando da Embratur. A primeira vez foi entre 2019 e 2020, antes de ser nomeado para o Ministério do Turismo.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

PT e Centrão se unem para quebrar acordo e retirar PL da presidência da CCJ

O PT e o Centrão articulam para quebrar um acordo firmado no começo do ano passado e tirar o PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, da presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara neste ano. Se o plano se consolidar, a CCJ, o colegiado mais importante de todos da Casa, ficará com

Juiz arquiva investigação sobre Haddad por suspeita de caixa 2 nas eleições de 2012

A Justiça Federal em São Paulo decretou o arquivamento de uma investigação policial sobre o ministro da Fazenda Fernando Haddad por suspeita de caixa 2 nas eleições municipais de 2012 - na ocasião, o petista disputou e venceu o pleito, derrotando o tucano José Serra na corrida à Prefeitura da Capital. A decisão judicial acolhe

PF mira trama golpista em depoimento conjunto de Bolsonaro e outros 22

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) prestou depoimento na tarde desta quinta-feira (22) à Polícia Federal sobre os planos discutidos no fim de 2022 para um golpe de Estado contra a eleição de Lula (PT) à Presidência da República. O depoimento foi marcado para iniciar às 14h30. Ex-ministros, ex-assessores, militares e aliados