Ex-deputado federal Rôney Nemer é nomeado presidente do Ibram

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

O ex-deputado federal Rôney Nemer (PP) é o novo presidente do Instituto Brasília Ambiental (Ibram).

A nomeação foi publicada, nesta sexta-feira (3/3), em edição extra do Diário Oficial do DF (DODF).

Rôney Nemer foi deputado federal de 2015 a 2018. Nas últimas eleições, que ocorreram em 2022, ele se candidatou ao mesmo cargo, obteve 46.151 votos, mas não foi eleito.

O ex-deputado chegou a ser condenado a oito anos de inelegibilidade, mas acabou liberado para concorrer, em 2022, por meio de uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Nunes Marques.

Nemer foi acusado de receber, durante o exercício do mandato de deputado distrital, vantagem ilícita para prestar apoio político ao governo de José Roberto Arruda (PL). Em 2023, a 3ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT) absolveu ele da condenação que ocorreu no âmbito da Caixa de Pandora.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

PF mira trama golpista em depoimento conjunto de Bolsonaro e outros 22

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) prestou depoimento na tarde desta quinta-feira (22) à Polícia Federal sobre os planos discutidos no fim de 2022 para um golpe de Estado contra a eleição de Lula (PT) à Presidência da República. O depoimento foi marcado para iniciar às 14h30. Ex-ministros, ex-assessores, militares e aliados

Bolsonaro pode ser preso se incitar crime durante ato no domingo na avenida Paulista

(FOLHAPRESS) - Jair Bolsonaro (PL) pode ser preso se fizer apologia ou incitação ao crime durante manifestação convocada por ele na avenida Paulista, em São Paulo, neste domingo (25), afirmam especialistas. Os profissionais, entretanto, divergem sobre se a mera convocação do ato já poderia ensejar uma prisão preventiva, uma vez que o ex-presidente é investigado

Lula escolhe novo juiz, e TRE-PR deve marcar data do julgamento de Moro

(FOLHAPRESS) - O presidente Lula (PT) escolheu o advogado José Rodrigo Sade para a cadeira de juiz do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Paraná, corte que julgará o senador Sergio Moro (União Brasil) em um processo com pedido de cassação movido pelo PT e pelo PL. A nomeação de Sade, que figurava em uma lista