João Restiffe, pioneiro da TV brasileira, morre aos 97 anos

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

João Restiffe, pioneiro da televisão brasileira, morreu na segunda-feira (17/4), aos 97 anos de idade. O ator era um dos últimos sobreviventes do show inaugural, lançado em 1950 na TV Tupi, que é um marco televisivo no país.

O ator nasceu no interior de São Paulo, na cidade de Caconde, em 27 de junho de 1925. Na televisão, fez sucesso com a atuação em Rancho Alegre, o primeiro programa humorístico da TV Brasileira. O artista também esteve na primeira telenovela do Brasil, Sua Vida Me Pertence.

No cinema, Restiffe esteve no elenco de filmes como A Queridinha do Meu Bairro, A Um Passo da Glória, Rebelião em Vila Rica, O Cantor e o Milionário, Moral em Concordata e Dona Violante Miranda, todos na década de 1950.

O ator deixou a vida na televisão na década de 1960 para se dedicar a família e começou a trabalhar como funcionário público. A causa da morte não foi confirmada.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Tarcísio é o preferido para presidência, diz pesquisa feita no ato pró-Bolsonaro

61% dos manifestantes entrevistados durante o ato que ocorreu no domingo, 25, na Avenida Paulista, em defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), acreditam que o nome do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), é o melhor para concorrer à Presidência em 2026, caso Bolsonaro permaneça inelegível. O dado foi obtido pelo Monitor do

Lula perdeu a eleição para Bolsonaro e o Brasil vive sob uma ditadura

Perde seu tempo Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal e condutor do inquérito que apura atentados à democracia, quando ensina aos que não querem aprender, seja por lhes faltar inteligência, seja por indiferença ou ideologia: “Não existe crime de golpe de Estado, porque, se tivessem dado o golpe, quem não estaria aqui seríamos

Rui Costa minimiza ato de Bolsonaro e diz que ex-presidente confessou crimes cometidos

O ministro da Casa Civil, Rui Costa, avaliou que o ato do ex-presidente Jair Bolsonaro na Avenida Paulista no domingo, 25, ficou aquém do que foi divulgado pelos organizadores. Em sua avaliação, contudo, a surpresa foi em relação ao conteúdo das falas do ex-chefe do Executivo, o que o ministro analisa como uma confissão de