MPT e Caixa assinam acordo em caso que apurou assédio sexual praticado por ex-presidente do banco

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

A Justiça do Trabalho homologou o acordo firmado entre Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal (MPT-DF) e Caixa Econômica Federal, encerrando o processo movido pelo órgão contra a empresa pública, por tolerar práticas de assédio sexual e moral dentro da instituição. A Caixa vai pagar R$ 10 milhões, a título de dano moral coletivo, valor que será revertido a instituições sem fins lucrativos.

 

O procurador Paulo Neto, do MPT-DF, processou a Caixa após confirmar a ocorrência de assédio sexual e moral praticado pelo então presidente da instituição, Pedro Guimarães. Durante três meses de investigação, foram ouvidas 38 testemunhas que confirmaram e detalharam as situações vivenciadas nos últimos anos.

 

As vítimas relataram desde toques físicos em partes íntimas, sem consentimento, até convites constrangedores e punições em razão de recusa às investidas de Pedro Guimarães.

 

No acordo, a empresa se comprometeu a implementar, em 90 dias, a Política de Prevenção e Combate ao Assédio Moral, garantindo, entre outros itens, canais de denúncias seguros, que resguardem o anonimato, o sigilo e a privacidade dos denunciantes e tempo recorde para resolução dos casos. Os prazos fixados são de 30 dias para análise das denúncias e apuração de, no máximo, 180 dias.

 

Ainda está prevista divulgação, no Portal da Transparência da empresa, da quantidade de denúncias recebidas envolvendo assédio sexual, assédio moral e discriminação. Serão realizadas auditorias externas para identificar riscos, monitorar e avaliar ações de prevenção e enfrentamento ao assédio.

 

Também está proibido qualquer ato de retaliação, coação ou constrangimento contra os empregados que denunciarem ou testemunharem casos de assédio na instituição. Há previsão de multa de R$ 5 mil por descumprimento, multiplicada pelo número de irregularidades identificadas.

 

Em relação à responsabilização individual do ex-presidente da Caixa Econômica Federal, o processo continua em andamento, mas se encontra sob sigilo de Justiça.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Barroso nega pedido de impedimento de Flávio Dino no inquérito do 8/1

O ministro Luís Roberto Barroso negou, no dia 24 de março, um pedido para declarar Flávio Dino impedido de julgar a ação sobre os atos golpistas do 8 de janeiro.   O pedido, apresentado pelo advogado Ezequiel Silveira, que defende um dos golpistas, aponta que Dino, até o final de 2023, estava diretamente envolvido na

VÍDEO: Policiais erram endereço e apontam arma no rosto de mulher inocente em Goiás

Agentes da Polícia Civil de Goiás (PC-GO) erraram de endereço enquanto tentavam cumprir mandados de prisão e assustaram uma família, em Aparecida de Goiânia, na manhã de quinta-feira (11). Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento em que a policial aponta a arma para uma moradora, que contesta a presença dos agentes

Jovem com câncer terminal casa neste sábado: “Dia mais feliz”

Isabel Veloso, ou Zabéu, como foi carinhosamente apelidada, corre contra o tempo para conseguir realizar seus últimos sonhos. A jovem, de 17 anos, foi diagnosticada com um câncer raro e agressivo aos 15. Depois de várias tentativas frustradas de tratamento, dentre elas quimioterapias, transplante e medicações, ela decidiu que era hora de parar. Em março