Titanic pode não ter colidido com iceberg, revela varreduras digitais

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos
Um estudo recente, conduzido pelo especialista norte-americano Parks Stephenson, ex-militar e colaborador em filmes de James Cameron sobre o Titanic, levanta a hipótese de que o naufrágio do famoso navio pode não ter ocorrido devido a uma colisão direta com um iceberg, como se acreditava até então. A pesquisa baseia-se em informações obtidas por meio de varreduras digitais em 3D do local do naufrágio.
Stephenson disse ao jornal britânico The Mirror que há um “crescente número de evidências” apontando que o Titanic não atingiu o iceberg de forma direta, como retratado em filmes. A revelação surgiu após a conclusão de um escaneamento digital tridimensional em tamanho real do naufrágio, que gerou 70 mil imagens do Titanic.
Durante seis semanas, uma equipe trabalhou no mapeamento dos destroços e da área ao redor, no Atlântico Norte, utilizando submersíveis operados remotamente. Os dados coletados foram detalhados e levaram sete meses para serem processados e renderizados.

  • Bill Gates prevê IA que eliminará sites de busca
A análise das imagens permitiu identificar novos elementos, como a curvatura e deformação da seção de proa do navio, além de danos físicos não observados anteriormente. De acordo com Stephenson, uma teoria sugere que o Titanic pode ter encalhado em uma plataforma submersa do iceberg, em vez de colidir diretamente com a massa de gelo.
Um documentário abordando o projeto está previsto para ser lançado no próximo ano. O Titanic teria atingido um iceberg às 23h40 do dia 14 de abril de 1912, horário local, e afundou duas horas e quarenta minutos depois. A tragédia resultou em 706 sobreviventes, enquanto os botes salva-vidas comportavam apenas 1.178 pessoas em um navio com capacidade para mais de 3.000 passageiros e tripulantes.

  • IA da Microsoft: em direção à inteligência geral ou apenas um avanço?
O último sobrevivente vivo do Titanic faleceu em 2009, aos 97 anos – tinha apenas dois meses durante o desastre. Os destroços do navio foram buscados por décadas até serem localizados em 1985, a 3.843 metros de profundidade e a 650 quilômetros ao sudeste de Terra Nova, no Canadá.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Missão Hubble celebra 34 anos com nova fotografia de galáxia

Em 24 de abril de 1990, o Telescópio Espacial Hubble foi lançado, dando início a uma missão que já dura 34 anos. Para celebrar o aniversário de hoje, os pesquisadores responsáveis pelo Hubble decidiram divulgar uma nova imagem da galáxia conhecida como Messier 76, situada a aproximadamente 3.400 anos-luz de distância da Terra. Os cientistas

Senado dos EUA aprova projeto que pode proibir TikTok no país

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta terça-feira (23) um projeto de lei que pode proibir o TikTok no país se a ByteDance, empresa chinesa que controla o aplicativo, não passar o comando da plataforma a um proprietário americano. A medida foi aprovada como parte de um pacote mais amplo

AGU diz ao STF que há indícios de crime no ‘Twitter Files’

A Advocacia-Geral da União (AGU) enviou nesta terça-feira, 23, ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma "notícia de fato" com informações que apontam uma "provável ocorrência de crime contra o Estado Democrático de Direito" na divulgação de informações sigilosas pelo jornalista americano Michael Shellenberger em seu perfil no X - os chamados "Twitter Files". A AGU