Volume de serviços no país cai 1,6% de março para abril

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Logo Agência Brasil

O volume de serviços no país teve queda de 1,6% em abril deste ano, na comparação com março. O recuo veio depois de altas em fevereiro e março, período no qual o setor acumulou ganho de 2,1%. O dado é da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta quinta-feira (15), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). ebcebc

Nos outros tipos de comparação, no entanto, os serviços apresentaram crescimento: 2,7% em relação a abril de 2022, 4,8% no acumulado do ano e 6,8% no acumulado de 12 meses. 

Notícias relacionadas:

  • Taxa de desemprego de 8,5% é a menor para abril desde 2015, diz IBGE .
  • Serviços crescem 0,9% de fevereiro para março, revela pesquisa do IBGE.

A perda de 1,6% do setor na passagem de março para abril foi puxada por quatro das cinco atividades pesquisadas pelo IBGE, com destaque para o setor de transportes (-4,4%). Em fevereiro e março, o segmento havia acumulado alta de 7,5%.

Em abril, houve recuo de 3,4% e de 1,4% no setor de transporte cargas e de passageiros.  

Impacto negativo

“Vários segmentos de serviços dentro desse setor acabaram por gerar um impacto negativo: gestão de portos e terminais, transporte rodoviário de cargas, rodoviário coletivo de passageiros e transporte dutoviário. Esses segmentos tiveram importância no âmbito do volume de serviços, ultrapassando a fronteira do próprio setor”, afirmou o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, por meio de nota divulgada pelo IBGE. 

Também tiveram diminuição os serviços de informação e comunicação (-1%); profissionais, administrativos e complementares (-0,6%) e outros serviços (-1,1%). 

E os serviços prestados às famílias integram o único segmento com alta (1,2%), depois de uma perda acumulada de 2,2% em fevereiro e março. 

A receita nominal caiu 0,4% de março para abril, mas cresceu 8% na comparação com abril do ano passado, 10,8% no acumulado do ano e 13,9% no acumulado de 12 meses. 

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Lei que pode mudar completamente o mercado de livros no Brasil avança no Senado

A indústria brasileira de literatura pode estar prestes a passar por uma grande mudança. A Lei Cortez, antigo PL 49/2015, reintroduzido pela senadora Teresa Leitão (PT-PE), avança no Senado Federal. A lei tem como objetivo estabelecer uma política nacional de regulação no preço dos livros, com livrarias conseguindo descontos significativos das editoras.   A Lei

Dólar à vista tem queda significativa e fecha em R$ 5,16

O dólar à vista teve uma queda significativa nesta segunda-feira (22) e fechou o dia em R$ 5,1687, com baixa de 0,59%. Na máxima, pela manhã, chegou a R$ 5,2181, mas depois se firmou em baixa ao longo da tarde. Assim, a moeda norte-americana atingiu os menores níveis em mais de uma semana. A Petrobras

Léo Condé projeta duelo contra o Cruzeiro, próximo adversário do Vitória: “Buscar pontos fora”

Após um ponto somado em duas rodadas do Campeonato Brasileiro, o Vitória enfrenta o Cruzeiro, no próximo domingo (28), às 16h, no Mineirão, pela 4ª rodada da competição. No momento, por conta do compromisso adiado diante do Cuiabá, o Rubro-Negro tem um jogo a menos e está na 17ª colocação, à frente de Corinthians, Atlético-GO