Atriz Sandra Bullock fica 15 minutos trancada em um closet por causa de invasão de fã em sua casa

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Com medo, a protagonista de ‘Velocidade Máxima’ ligou para a polícia que prontamente chegou à sua casa e prendeu o infrator

Reprodução

Após perceber a invasão de seu domicílio, Sandra Bullock ligou imediatamente para polícia

O recém-lançado documentário “Stalkers in Hollywood”, revela um inusitado episódio da vida da Sandra Bullock. A produção conta que a atriz de “Velocidade Máxima” e “Cálculo Mortal” ficou trancada por 15 minutos em um closet e fez ligação à polícia de Los Angeles por causa da invasão de um fã a sua casa. “Alguém entrou na minha casa. Estou escondida no closet”, diz a a atriz com a voz baixa na gravação revelada pelo documentário. Bullock não desligou o telefone em nenhum instante e só saiu do local quando a polícia recomendou. O fã invasor foi  preso em flagrante dentro do imóvel.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Depois de 2 anos, crise humanitária na Ucrânia afeta 40% da população

Este 24 de fevereiro marca exatos dois anos desde o início da invasão em grande escala da Ucrânia pela Rússia. O ataque interrompeu uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), que buscava evitar que essa escalada acontecesse. Até mesmo o embaixador da Rússia na ONU, Vasily Nebenzya, que

‘Falou coisas sem provar, mas não tenho rancor’, diz Ximbinha sobre Joelma

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mágoa? O guitarrista Ximbinha, 50, afirma que, em relação a Joelma, 49, com quem foi casado por 18 anos, essa palavra não existe. Com ela, formou a banda Calypso, que fez sucesso no páis todo entre 1999 a 2015. Em entrevista à reportagem, o músico concorda em falar sobre a

Silvio Almeida: não se pode admitir oportunismo no caso de Marajó

Nesta sexta-feira (23/2), o ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida, negou que o governo do presidente Lula (PT) tenha cancelou as ações, políticas e projetos voltados à Ilha do Marajó, no Pará. Segundo ele, não se pode admitir que oportunistas se aproveitem da situação para desinformar e criar “pânico moral”. “O que a gente não