CPI do 8/1 trava na reta final e deve acabar sem ouvir mais militares

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O presidente da CPI do 8 de janeiro, deputado federal Arthur Maia (União Brasil-BA), avisou nesta terça-feira (3) que o último depoimento da comissão será na quinta (5), com o policial militar do Distrito Federal Beroaldo José de Freitas Júnior.

A base de Lula (PT) ainda tenta convencer Maia a ouvir o general Walter Braga Netto, ex-ministro de Jair Bolsonaro (PL) e ex-candidato a vice-presidente da República. Braga Netto já foi convocado pela comissão, mas teve seu depoimento adiado duas vezes.

Com o poder de marcar e desmarcar depoimentos, Maia chegou a afirmar que a CPI só ouviria Braga Netto se algum representante da Força Nacional de Segurança Pública fosse convocado. O requerimento de convocação do comandante nas tropas foi rejeitado nesta terça por 14 votos a 10.

A votação pegou os parlamentares de surpresa e gerou reclamações da base de Lula. Minutos antes, a oposição não sabia sequer quem deveria ser convocado. Uns defendiam a convocação do então diretor da Força; outros, do chefe das tropas.

Bolsonaristas querem ouvir a Força Nacional para desgastar o ministro da Justiça, Flávio Dino (PSB). Como revelou a Folha de S.Paulo, a Força Nacional alertou sobre a possibilidade de atos violentos em Brasília contra o resultado das eleições por parte de CACs (caçadores, atiradores e colecionadores).

O documento da Força Nacional, produzido em 5 de janeiro, é um dos poucos relatórios de inteligência sobre o risco de ataques em 8 de janeiro, já que a própria Abin (Agência Brasileira de Inteligência) admite ter enviado apenas “alertas” de inteligência por WhatsApp.

Além do documento da Força Nacional, só há registro do relatório produzido pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal dois dias antes do episódio. O teor do texto foi revelado pela Folha em 14 de janeiro.

A comissão ouve nesta terça o empresário Argino Bedin, apontado como um dos financiadores do acampamento em frente ao quartel-general do Exército, em Brasília. Bedin é um dos integrantes do movimento de direita Verde Amarelo.

Nesta segunda (2), o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Dias Toffoli decidiu que o ruralista deveria ir à sessão, mas poderia ficar em silêncio para não produzir provas contra si mesmo.

O empresário não quis responder, por exemplo, se enviou caminhões para a capital federal.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Bolsonaro chega acuado a ato e busca demonstrar força política contra investigações

MARIANNA HOLANDA E GABRIELA BILÓBRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Jair Bolsonaro (PL) aposta mais uma vez numa manifestação na avenida Paulista, em São Paulo, para tentar demonstrar seu capital político. Neste domingo (25), o ex-presidente tem como principal objetivo apresentar um retrato de que mantém apoio popular e, dessa forma, reagir ao avanço das investigações sobre

Influenciador português que entrevistou Bolsonaro diz ter sido detido pela PF no Brasil

O influenciador português Sérgio Tavares, que recentemente entrevistou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em uma live em seu canal no YouTube, postou um vídeo em seu perfil no X (antigo Twitter) em que diz ter sido detido pela Polícia Federal (PF) no Aeroporto de Guarulhos (GRU) ao desembarcar no Brasil, na manhã deste domingo, 25.

Valesca Popozuda tem show em casa de eventos em SP interrompido por incêndio

Incidente aconteceu durante a primeira música do setlist da cantora; local foi evacuado Reprodução/Instagram/valescapopozuda A funkeira Valesca Popozuda precisou interromper um show em uma casa de eventos em Taboão da Serra A funkeira Valesca Popozuda precisou interromper um show em uma casa de eventos em Taboão da Serra, na região metropolitana de São Paulo, após