Nova Comissão de Mortos ainda aguarda pastas da Defesa e Justiça

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

A proposta do governo federal para recriar a Comissão de Mortos e Desaparecidos ainda depende do aval do Ministério da Defesa e do Ministério da Justiça. Só depois disso o jurídico do Palácio do Planalto levará o decreto para ser assinado por Lula.

Esvaziado, o colegiado foi encerrado às pressas pelo governo Bolsonaro no fim do ano passado, depois que Lula venceu a eleição. Poucos dias depois, a equipe de transição recomendou a volta da comissão, em linha com uma recomendação do Ministério Público Federal. Silvio Almeida, que fazia parte desse grupo e depois se tornou ministro dos Direitos Humanos, formalizou em abril a proposta do decreto.

Seis meses depois, a Comissão de Mortos e Desaparecidos segue apenas no papel. Atualmente, além da resistência histórica dos militares em revisitar a ditadura, os fardados avaliam que o gesto traria mais desgaste em um momento sensível à caserna.

A delação do tenente-coronel Mauro Cid, ex-auxiliar de Bolsonaro, apontou que o plano golpista pós-eleição foi endossado pelo então comandante da Marinha, Almir Garnier Santos. O general Augusto Heleno, ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional, foi ouvido na última semana pela CPMI do 8 de Janeiro. O militar se irritou com os questionamentos e soltou palavrões durante a sessão.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

No sul da Bahia, adolescente desaparece após sair da residência da namorada

Um adolescente desapareceu após deixar a residência da namorada na sexta-feira (23), no município de Coaraci, no sul da Bahia. Até o momento, não há nenhuma informação sobre o paradeiro dele. De acordo com a Polícia Civil, Flávio estava de motocicleta indo em direção a sua residência, na cidade de Itapitanga, quando não foi mais

Apartamento que pegou fogo em Campinas tinha munições e granada

São Paulo — Uma perícia realizada na manhã deste domingo (25/2) confirmou a presença de munições e de uma granada no interior de um apartamento que pegou fogo na noite de sábado (24/2), em Campinas, no interior de São Paulo. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), as munições “foram deflagradas em decorrência

Projeto apresentado por Capitão Alden busca aumentar pena para quem faz denunciação caluniosa

Já está tramitando na Câmara dos Deputados o primeiro projeto apresentado pelo deputado Capitão Alden (PL-BA) neste ano de 2024. O projeto do deputado baiano - o Pl 98/2024 - tem como objetivo alterar o Código Penal para estabelecer o aumento de pena na conduta tipificada como "Denunciação Caluniosa" que envolva ambiente familiar de coabitação.