Após entrada israelita, 2 crianças morrem em campo de refugiados de Jenin

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

A poucas horas de ser dada como terminada a pausa humanitária entre o grupo Hamas e Israel, o exército israelita entrou no campo de refugiados de Jenin, na Cisjordânia, onde milhares de pessoas vivem.

De acordo com as publicações internacionais, a incursão está sendo feita desde ontem com dezenas de veículos blindados e, pelo menos, quatro bulldozers – tratores usados para escavação. 

Segundo a imprensa, pelo menos 20 pessoas foram presas até agora em Jenin, incluindo membros de uma família palestina que é “procurada”, de acordo com Israel.

Há também informações por parte de médicos, citados pela imprensa, que dizem que há pelo menos seis pessoas feridas.

Já o ministério da Saúde de Gaza informou, citado pela Jazeera, que duas crianças morreram na operação militar. Segundo as informações transmitidas, uma criança de nove anos foi alvejada na cabeça, enquanto um jovem, de 15 anos, teria sido baleado no peito.

As forças de segurança israelita estarão obrigando pessoas a saírem das suas casas e destruindo alguns locais. Uma casa também teria sido bombardeada com a ajuda de um drone, explicaram algumas fontes no local à agência de notícias palestiniana Wafa.

A comunidade internacional está pedindo para que a trégua entre o Hamas e Israel se prolongue, depois de ter sido prorrogada por mais dois dias. Segundo uma fonte próxima do grupo, este estará disposto a prolongar a pausa durante mais quatro dias.

Veja as imagens deste ataque na galeria acima.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Criança de 9 anos é presa após morte de familiar nos EUA

Uma tragédia familiar abalou a cidade de Tooele, no estado de Utah, nos Estados Unidos. Uma criança de 9 anos foi detida após um familiar ser morto com um tiro na cabeça, na noite do dia 16 de fevereiro, de acordo a ABC News. O sexo da criança não foi divulgado, assim como o grau

Israel acusa ONU de ignorar crimes do Hamas por pedir embargo de armas

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, acusou os relatores e especialistas da ONU (Organização das Nações Unidas) de “ignorar os crimes de guerra, os crimes sexuais e os crimes contra a humanidade” cometidos pelo grupo palestino Hamas. A declaração ocorre após 37 membros da entidade pedirem na última sexta-feira, 23, um embargo

Youtuber é condenada a 30 anos de prisão por abuso infantil

Ruby Franke, a norte-americana que fornecia orientação parental no Youtube, foi sentenciada a uma pena de até 60 anos de prisão por quatro crimes de abuso agravado de crianças. Ela cumprirá uma pena efetiva de até 30 anos, o tempo máximo por acumulação jurídica no estado de Utah. A acusação incluía quatro crimes de abuso