Reportagem do portal da Jovem Pan sobre reforma tributária é finalista do Prêmio Nacional de Educação Fiscal

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos


whatsapp image 2023 11 29 at 12.56.42

A reportagem “Brasil é um dos países mais desiguais do mundo por causa do sistema tributário e cobrança desproporcional de impostos“, do portal da Jovem Pan, é finalista da 11ª edição do Prêmio Nacional de Educação Fiscal, promovido pela Associação Nacional das Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite), que anuncia seus vencedores nesta quinta-feira, 30. A solenidade de premiação será realizada no Auditório da Escola Nacional de Administração Pública (Enap), em Brasília, para convidados. O evento será transmitido pelo site da premiação e contará com a participação da atriz Dira Paes, comandando a entrega dos prêmios. A matéria escrita pela jornalista Tatyane Mendes, repórter de economia do site da Jovem Pan, concorre na categoria imprensa e foi publicada em 15 de junho de 2023. Ela fez parte de uma série de reportagens produzida pelo portal intitulada “Reforma Tributária, O Brasil Precisa”, que tem o objetivo de esclarecer pontos importantes do tema para a população.

A premiação recebeu ao todo 253 candidaturas, abrangendo matérias de destaque na grande imprensa, projetos provenientes de escolas públicas, instituições e projetos inovadores de tecnologia. Serão distribuídos R$ 60 mil em prêmios aos vencedores. A categoria imprensa recebeu 29 inscrições de reportagens publicadas em veículos como Jovem Pan, Valor Econômico, Folha de S. Paulo e Estadão. As publicações foram avaliadas pelos jornalistas Denise Rothemburg (Correio Braziliense), Rudolfo Lago (Correio da Manhã) e Carlos Lins (Congresso em Foco). A reportagem da Jovem Pan mostra que como o atual código tributário nacional vigente tem sido responsável por tornar o Brasil uma das nações mais desiguais do mundo, na medida em que o sistema tributário funciona como um “Robin Hood às avessas”, cobrando impostos excessivamente dos mais pobres e desonerando os mais ricos.

O Prêmio Nacional de Educação Fiscal é promovido pela Associação Nacional das Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite) e conta com a parceria do Ministério da Educação, da Receita Federal, do Tesouro Nacional, da Escola Nacional de Administração Pública (Enap), do Grupo de Trabalho Educação Fiscal (GT 66), vinculado ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), do Encat (Encontro Nacional dos Coordenadores e Administradores Tributários Estaduais), do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), do Comsefaz (Comitê Nacional de Secretários de Fazenda dos Estados e do DF), da Conamp (Associação Nacional dos Membros do Ministério Público), do site Congresso em Foco, dentre outros.

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Secretário de Haddad propõe no G20 discussão sobre tributação de heranças e de grandes empresas

O secretário de política econômica do ministério da Fazenda, Guilherme Mello, disse nesta quarta-feira, 28, que a tributação sobre grandes heranças e sobre o lucro de grandes empresas estará presente na pasta nas próximas reuniões do G20. “O Haddad já mencionou mais de uma vez sua preocupação sobre essa temática e trouxe o que entendemos

Renda média do brasileiro chega a R$ 1.893 por pessoa, aponta IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira, 27, dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) que mostram que a renda domiciliar per capita nominal dos brasileiros ficou em média de R$ 1.893 em 2023. As informações são divulgadas conforme determinação da Lei Complementar 143/2013, que dita os

Bilionários precisam pagar mais impostos, diz Haddad em reunião do G20

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta quarta-feira, 28, que os bilionários precisam pagar mais impostos. “Precisamos admitir que ainda precisamos fazer com que os bilionários do mundo paguem sua justa contribuição em impostos”, disse. “Chegamos a uma situação insustentável, em que os 1% mais ricos detêm 43% dos ativos financeiros mundiais e emitem a