Biden diz que não concorreria a reeleição se Trump não fosse candidato

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 3 minutos
joe biden

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, provavelmente não iria concorrer a reeleição, mas a candidatura do republicano Donald Trump fez com que ele mudasse de ideia. “Se Trump não fosse candidato, não estou certo de que me candidataria”, disse, nesta terça-feira, 5, durante um evento de doadores democratas perto de Boston (nordeste), ao se referir a seu antecessor republicano. “Mas não podemos deixá-lo vencer”, acrescentou o democrata de 81 anos. Contudo, quando questionado se desistiria das eleições caso o ex-presidente saísse da disputa, Biden disse aos jornalistas que não. O democrata derrotou o republicano na eleição presidencial de 2020, mas o político do Partido Republicano nunca admitiu a derrota, fez falsas acusações de fraude e foi indiciado por supostamente instigar a invasão do Capitólio quando os resultados da eleição estavam sendo certificados.

Líder dos EUA alertou para a

Biden adverte repetidamente que Trump e seus apoiadores mais radicais representam uma ameaça à democracia americana. No entanto, Trump é o grande favorito nas primárias para escolher o candidato republicano para a eleição presidencial de 2024, na qual ele provavelmente enfrentará Biden novamente. Durante o evento, Biden elogiou a “voz poderosa” da ex-congressista republicana Liz Cheney, que alertou no domingo que os Estados Unidos avançariam como um “sonâmbulo para uma ditadura” se o ex-presidente, que foi alvo de dois processos de impeachment, retornar à Casa Branca. Ele também aproveitou para citar a linguagem cada vez mais hostil da campanha, na qual o empresário republicano já se referiu aos adversários como “vermes”. O democrata comparou s beligerância com os nazistas durante a ascensão de Adolf Hitler na década de 1930. “Trump nem está escondendo isso. Ele está nos dizendo o que vai fazer”, disse Biden. “Ele não está fazendo rodeios”.

presidente dos eua

Trump reagiu a essa declaração, e disse que não será um ditador se para reeleito em 2024, “exceto no primeiro dia”. “Quero fechar a fronteira e quero perfurar (em busca de petróleo)”, declarou o republicano. Os comentários do ex-presidente surgem em meio a alertas dos principais veículos de comunicação do país – ‘The Washington Post’ e The New York Times’, entre outros – que descrevem como “ditadura”, “guinada” para os EUA e “autoritarismo” o cenário que seria vívido no país caso Trump fosse reeleito nas eleições presidenciais de novembro do próximo ano. De acordo com as últimas pesquisas, o republicano venceria a eleição em vários estados importantes sobre Biden, que tem índices de aprovação abaixo de 40%. As pesquisas também mostram a preocupação dos eleitores com a idade avançada de Biden, 81 anos. Caso vença a eleição, o democrata terminaria seu segundo mandato em 2029 aos 86 anos. Trump, que tem 77 anos, terminaria seu mandato aos 82. Apesar de sua impopularidade, e exceto por uma mudança surpresa de planos ou um grave problema de saúde que o obrigue a desistir, Biden está quase certo de que será o indicado de seu partido às eleições de novembro de 2024.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Irã vai às urnas em meio à insatisfação popular e tem conservadores como favoritos

O Irã vai às urnas nesta sexta-feira, 1, para renovar o Parlamento e a Assembleia dos Peritos, eleições legislativas que devem ter uma participação reduzida e consolidar o poder dos conservadores. Mais de 61 milhões de eleitores de uma população 85 milhões estão registrados para definir os 290 membros do Parlamento e os 88 membros

Vulcão Popocatépetl em erupção causa transtornos no México; veja

A atividade vulcânica na região central do México tem causado transtornos nos últimos dias para os 25 milhões de habitantes que vivem a menos de 100 quilômetros do vulcão Popocatépetl. O vulcão entrou em erupção na terça-feira (27/02), expelindo uma enorme nuvem de fumaça e cinzas. Foram registradas 13 erupções entre terça e quarta-feira, o

Multidão faz fila em frente à igreja russa para se despedir de Navalny

Milhares de russos se reuniram nesta sexta-feira, 1º, em frente à igreja em Moscou, na Rússia, onde será realizada a despedida do líder opositor Alexei Navalny, que morreu há duas semanas em uma prisão no Ártico. Segundo porta-voz de Navalny, familiares foram até o necrotério para recolher o corpo do político, mas não conseguiram até