Brasil é o 4º país com mais viciados em smartphones

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

A quantidade de smartphone cresceu substancialmente na última década, sendo que mais da metade de toda população do planeta já possui um dispositivo.

Nos países desenvolvidos, a taxa é ainda maior, mais de 80% da população já possui um smartphone.

Com a maior disponibilidade, cresce também um problema, o vício em smartphones.

O uso indiscriminado do smartphone, tem sido associado a deficiências cognitivas, dificuldade no estudo, piora na qualidade do sono, e em alguns casos até na depressão.

O Brasil não escapa deste problema contemporâneo, e está em 4º no ranking dos países com mais viciados em smartphones.

É o que revela um estudo divulgado pela plataforma de descontos online CupomValido.com.br com dados da Universidade McGill.

O Brasil fica atrás somente de 3 países: Malásia, Arábia Saudita e China. Já os países com menos viciados, são a França e a Alemanha.

Notícias ao Minuto [País fica atrás somente da Malásia, Arábia Saudita e China]© Universidade McGill / CupomValido.com.br  

Por que existem tanto viciados em smartphones no Brasil?

Os pesquisadores citam que normas sociais variadas e expectativas culturais podem influenciar na importância que os indivíduos atribuem a permanecer em contato constante por meio de smartphones.

Países com uma cultura mais coletivista (como o Brasil), onde as conexões interpessoais são altamente valorizadas, podem apresentar taxas mais elevadas de vício em smartphones. Principalmente por passar mais tempo em redes sociais com os amigos e familiares.

Por outro lado, culturas individualistas (como a Alemanha), que priorizam a autonomia pessoal, podem demonstrar taxas mais baixas de dependência de smartphones.

Como tratar o vício de smartphone?

O tratamento pode ser abordado de diversas maneiras, sendo as principais:

  • Definição de limites de tempo máximo gasto no uso do smartphone por dia
  • Controle de notificações, desativando todas as notificações desnecessárias, e reduzindo a tentação de verificar o dispositivo a todo momento
  • Distância física do aparelho, seja deixando em outro cômodo ou fora do alcance das mãos, principalmente na hora do estudo, do trabalho ou de dormir
  • Por fim, caso o vício esteja afetando negativamente a saúde física ou mental, é interessante considerar a ajuda profissional de saúde ou terapeuta

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Elon Musk decide processar empresa responsável pelo ChatGPT

O empresário Elon Musk decidiu processar a empresa responsável pelo ChatGPT, a OpenAI, assim como o cofundador e CEO Sam Altman. O motivo? Musk acusa Altman de ter abandonado a missão original da empresa de desenvolver Inteligência Artificial para o bem da humanidade. Como conta a Reuters, o processo submetido nesta quinta-feira, dia 29, indica

Imagem mostra estrago em “perna” após pouso problemático na lua

O módulo privado Odysseus, da Intuitive Machines, encarou uma série de desafios ao pousar na Lua no dia 22 de fevereiro, incluindo uma ou mais pernas quebradas. Apesar das dificuldades, a sonda tocou a superfície lunar, marcando o primeiro pouso de uma espaçonave norte-americana desde a Apollo 17 em 1972. Durante a descida, o Odysseus

Dona do ChatGPT agora quer colocar seus sistemas em robôs humanoides

A OpenAI, fabricante de ChatGPT, está procurando fundir seus sistemas de inteligência artificial (IA) nos corpos de robôs humanóides como parte de um novo acordo com a startup de robótica Figure. A Figure, sediada em Sunnyvale, Califórnia, anunciou a parceria na quinta-feira, 29, juntamente com US$ 675 milhões em financiamento de capital de risco de