COP28: Macron diz que acordo Mercosul-UE é incoerente com a política ambiental brasileira

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

O presidente francês Emmanuel Macron afirmou neste sábado, 2, que o acordo entre o Mercosul e a União Europeia é incoerente com a política ambiental brasileira. Macron criticou o tratado, que classificou como “antiquado”, e que ele não é “bom para ninguém”. O presidente francês fez as declarações em uma coletiva de imprensa, após participar de uma reunião bilateral com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na 28ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP28).

Lula tem tentado destravar o acordo entre os blocos, sem sucesso. O presidente pretende viabilizar um consenso sobre o tema antes da reunião do Mercosul, no Rio de Janeiro, na semana que vem.

Macron elogiou Lula, a quem classificou como “visionário e corajoso”, e disse que há muito alinhamento entre as visões do Brasil e da França, sobretudo em relação ao combate ao desmatamento, políticas para Amazônia, na área de Defesa, Economia e Cultura.

“E é justamente por isso, por isso mesmo, que sou contra o acordo Mercosul-UE, porque acho que é um acordo completamente contraditório com o que ele está fazendo no Brasil e com o que nós estamos fazendo, porque é um acordo que foi negociado há 20 anos, e que tentamos remendar, e está mal remendado”, disse.

Em seguida, Macron citou outros acordos celebrados, como com o Canadá, a Nova Zelândia e o Chile.

“Não leva em conta a biodiversidade e o clima dentro dele. É um acordo comercial antiquado que desmantela tarifas. Nos últimos anos, esses acordos foram bastante aprimorados”, criticou.

Macron visitará o Brasil no dia 27 de março de 2024. A confirmação foi feita por ele neste sábado, 2, durante almoço bilateral com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante a COP-28, em Dubai.

Durante o encontro, os presidentes conversaram sobre o acordo entre o Mercosul e a União Europeia. O Brasil atua para destravar a parceria entre os blocos.

Nessa sexta-feira, Lula abordou o mesmo tema durante reuniões bilaterais com representante da União Europeia, Ursula von der Leyen, e com o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez.

Na reunião com Macron o presidente Lula também abordou aprofundamento da relação entre os países, sobretudo na questão climática e nas áreas de Defesa e Cultura.

Lula e Macron já tinham se encontrado rapidamente durante a COP-28, quando se cumprimentaram. O país tenta retomar a boa relação com a França após as rusgas entre os dois países durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro.

*A jornalista viaja a convite do Instituto Clima e Sociedade

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Vulcão Popocatépetl em erupção causa transtornos no México; veja

A atividade vulcânica na região central do México tem causado transtornos nos últimos dias para os 25 milhões de habitantes que vivem a menos de 100 quilômetros do vulcão Popocatépetl. O vulcão entrou em erupção na terça-feira (27/02), expelindo uma enorme nuvem de fumaça e cinzas. Foram registradas 13 erupções entre terça e quarta-feira, o

Multidão faz fila em frente à igreja russa para se despedir de Navalny

Milhares de russos se reuniram nesta sexta-feira, 1º, em frente à igreja em Moscou, na Rússia, onde será realizada a despedida do líder opositor Alexei Navalny, que morreu há duas semanas em uma prisão no Ártico. Segundo porta-voz de Navalny, familiares foram até o necrotério para recolher o corpo do político, mas não conseguiram até

Multidão aguarda corpo de Navalny para funeral em meio a atrasos; veja

Após uma série de obstáculos e atrasos, as cerimónias fúnebres do opositor russo Alexei Navalny, morto em 16 de fevereiro na prisão, finalmente estão em andamento nesta sexta-feira (1º) em Moscou. Dezenas de pessoas se reúnem do lado de fora da igreja da Mãe de Deus, no distrito de Maryino, aguardando a chegada do corpo