Israel divulga detalhes e preparação do Hamas para ataque de 7 de outubro: ‘Anos de planejamento’

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 3 minutos
guerra orinte medio

Israel apresentou à imprensa na segunda-feira, 4, os detalhes e preparação do Hamas para o ataque de 7 de outubro que desencadeou uma guerra no Oriente Médio e completa dois meses do próximo dia 7. A apresentação teve como base documentos e dados recuperado com os combatentes palestinos. Smartphones, laptops, GPS, câmeras GoPro, walkie-talkies, mapas e outros documentos “mostram anos de preparação para atacar os kibutz e as bases militares. É um plano de batalha”, afirmou um oficial de inteligência israelense. Nos computadores foram encontrados planos táticos muito detalhados, com um relatório dos objetivos, os nomes das unidades mobilizadas e de seus membros, a missão atribuída a cada uma delas (ataque, apoio…) com detalhes operacionais, minutagem precisa e uma lista das armas necessárias. Também encontraram um desenho feito a mão com detalhes do posto militar avançado em Nahal Oz, ocupado pelo Hamas no dia do ataque. Os combatentes palestinos mortos tinham fotos de satélite e mapas precisos dos kibutz atacados.

As informações também mostram que “parte do treinamento foi sobre como tomar reféns. Os documentos mostram o que fazer e como assumir o comando”, explicou outro agente de inteligência. Para examinar os muitos documentos árabes e decifrar os milhões de dados eletrônicos e depois separar o essencial do secundário, Israel reativou depois do ataque uma unidade chamada ‘Amshat’ (sigla para ‘Departamento de Recuperação de Documentos e Materiais Técnicos’ do inimigo). A unidade, vinculada à inteligência militar israelense, foi criada após a guerra árabe-israelense de 1973, também provocada por um ataque surpresa, daquela vez do Egito e da Síria, atribuído a um fiasco do serviço de espionagem israelense. O oficial de inteligência não tem dúvidas de que as informações sobre os kibutz vieram de dentro, de “funcionários palestinos ou árabes israelenses”.

passoa passo ataque do hamas

Passo a passo do Hamas para o ataque a Israel │Reprodução/Twitter/@IDF

“Para a base militar (de Nahal Oz), não sabemos. Mas não vem de uma fonte aberta”, acrescentou. Entre os milicianos mortos foram encontradas uma “lista de tarefas” sobre o sequestro de reféns e um “manual de conversa” com estas pessoas. No final de outubro, as Forças de Defesa de Israel (IDF, digla em inglês) tinham divulgado o manual do grupo hamas para o massacre do dia 7 de outubro. Na cartilha, dividida em oito etapas, sendo algumas delas: sequestrar, amarrar ou matar, utilizá-los como escudo humano, roubar comidas e bebidas, entre outros. Outros documentos dão a entender que os milicianos tinham instruções para matar civis, segundo os oficiais de inteligência. “Queriam criar uma comoção tão grande para quebrar a moral dos israelenses”, disse um deles.

De forma surpreendente, os agentes israelenses também encontraram documentos não vinculados à operação de 7 de outubro, alguns deles com grande valor militar. “Alguns dos combatentes do Hamas foram deixados na ignorância e não sabiam o que iria acontecer. Muitos entraram em Israel com coisas que não eram relevantes para o ataque. Alguns estavam com os veículos que usam diariamente e que continham informações muito valiosas”, afirmou o segundo oficial. Entre o material recuperado estava um mapa detalhado do sul de Gaza que identifica instalações militares do Hamas. O jornal americano ‘The New York Times’ informou em 1º de dezembro que a inteligência militar israelense obteve mais de um ano antes do ataque um documento que detalhava ponto a ponto uma operação similar à executada em 7 de outubro, mas o considerou como um cenário “imaginário”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Vulcão Popocatépetl em erupção causa transtornos no México; veja

A atividade vulcânica na região central do México tem causado transtornos nos últimos dias para os 25 milhões de habitantes que vivem a menos de 100 quilômetros do vulcão Popocatépetl. O vulcão entrou em erupção na terça-feira (27/02), expelindo uma enorme nuvem de fumaça e cinzas. Foram registradas 13 erupções entre terça e quarta-feira, o

Multidão faz fila em frente à igreja russa para se despedir de Navalny

Milhares de russos se reuniram nesta sexta-feira, 1º, em frente à igreja em Moscou, na Rússia, onde será realizada a despedida do líder opositor Alexei Navalny, que morreu há duas semanas em uma prisão no Ártico. Segundo porta-voz de Navalny, familiares foram até o necrotério para recolher o corpo do político, mas não conseguiram até

Multidão aguarda corpo de Navalny para funeral em meio a atrasos; veja

Após uma série de obstáculos e atrasos, as cerimónias fúnebres do opositor russo Alexei Navalny, morto em 16 de fevereiro na prisão, finalmente estão em andamento nesta sexta-feira (1º) em Moscou. Dezenas de pessoas se reúnem do lado de fora da igreja da Mãe de Deus, no distrito de Maryino, aguardando a chegada do corpo