Menino de 8 anos morre afogado em área que virou “piscinão” após chuva

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

São Paulo — Um menino de 8 anos morreu afogado em um “piscinão” formado pelo acúmulo de água da chuva em um terreno de Carapicuíba, na região metropolitana de São Paulo. Israel Jorge de Oliveira morava em uma favela vizinha ao local e foi brincar no bolsão de água na última sexta-feira (1º/12).

Segundo a avó do garoto, Terezinha de Oliveira, Israel teria saído de casa de manhã, antes dos outros familiares acordarem. Ela conta que o avô chegou a procurar pelo menino ao levantar, mas não o encontrou. Pouco tempo depois, eles receberam a notícia do afogamento.

“Veio um monte de crianças gritando, chorando, para ele ir lá socorrer”, afirma Terezinha.

Um vizinho da família e policiais militares ajudaram a levar o menino até o Hospital Geral de Carapicuíba. “Eles fizeram de tudo. Acho que foram quatro paradas cardíacas. Na última ele morreu”, diz a avó.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, foram solicitados exames junto ao Instituto Médico Legal (IML) e ao Instituto de Criminalística (IC). O caso foi registrado como morte suspeita e acidental no 1° Distrito Policial de Carapicuíba.

Líder comunitária da Favela Porto de Areia, Cleide Faria Santos, de 53 anos, responsabiliza o governo do estado e a empresa proprietária do terreno pelo afogamento de Israel.

A propriedade pertence à Cava Soluções Ambientais (CSA), mas há mais de uma década o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), órgão vinculado ao governo estadual, utiliza o espaço para depositar materiais retirados dos rios Tietê, Pinheiros e outros córregos. A ação faz parte de um projeto de aterramento do terreno.

Para Cleide, foram as intervenções feitas pelo governo estadual que provocaram os desníveis onde a água da chuva se acumula.

“Eles falaram que aterraram [o terreno], mas eles deixaram vários bolsões”, diz a moradora.

Cleide afirma que em dias de calor como na última sexta-feira, quando a Grande São Paulo registrou temperatura de até 30ºC, as crianças buscam as poças d’água para se refrescar.

Ela critica a falta de segurança no local para impedir o acesso dos menores. “Não tem segurança, não tem ninguém para falar que não pode entrar”, afirma a líder comunitária.

Outro lado O Metrópoles questionou o DAEE e a CSA sobre o afogamento de Israel. Em nota, o órgão do governo afirmou que “manifesta seu profundo pesar pelo falecimento” e negou responsabilidade pela área em que a criança morreu.

“A Cava de Carapicuíba não é de propriedade do DAEE. É uma área particular, que foi utilizada para extração de areia por mais de 40 anos, dos anos 60 a 2000. A área no entorno foi utilizada como lixão e ocupação irregular por comunidades carentes. A CSA – Cava Soluções Ambientais representa os antigos mineradores proprietários da área”, diz o texto.

A reportagem ligou e enviou mensagem para uma das sócias da CSA, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. O espaço segue aberto para manifestação.

Por meio de nota, a Prefeitura de Carapicuíba afirmou que lamenta a morte de Israel e está à disposição para auxiliar a família, por meio da Secretaria de Assistência Social.

Segundo a gestão municipal, a região da lagoa abrange os municípios de Carapicuíba e Barueri, e ambas as prefeituras estão em tratativas com o governo do Estado para pensar uma solução para o local.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

MP-BA, TCE e TCM anunciam novidades para painel dos festejos juninos em 2024; coleta de dados começará no dia 18

Em 2024, o painel da transparência dos festejos juninos na Bahia terá nova edição. A meta é coletar e disponibilizar informações dos investimentos de todos os 417 municípios com atrações artísticas. A ferramenta foi lançada oficialmente nesta terça-feira (27), em reunião na sede do Tribunal de Contas do Estado (TCE). O painel é uma parceria

Polícia Civil regulamenta uso de grampos telefônicos na Bahia

A Polícia Civil da Bahia publicou uma Instrução Normativa, na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (28), que regulamenta o serviço de implementação das ordens judiciais de interceptação e quebra de sigilo de dados telefônicos e telemáticos, os chamados "grampos".    No documento assinado pela delegada-geral Heloísa Campos de Brito, constam 33 artigos

Governo federal cria casa em Roraima para atender povo Yanomami

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinou decreto, nesta quarta-feira (28/2), que institui a Casa de Governo de Roraima que irá coordenar as ações de enfrentamento à crise humanitária e de saúde da terra indígena Yanomami. A instalação será inaugurada na quinta (29/2) em Boa Vista, capital do estado, com a presença de