Saiba quem é Michel Nisenbaum, brasileiro sequestrado pelo Hamas

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 3 minutos
brasileiro refem do hamas 1

A família de Michel Nisenbaum teve um pequeno alívio nesta quinta-feira, 30. Desaparecido desde o dia 7 de outubro, quando Israel foi invadido pelo Hamas, o carioca está entre os reféns do grupo islâmico, segundo o governo brasileiro, que espera que ele possa ser libertado “por esses dias”, conforme declaração do presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT), após encontro com o emir do Catar, xeque Tamim bin Hamad al-Thani, onde ele agradeceu os esforços do país para negociar um cessar-fogo na região e a libertação dos brasileiros na Faixa de Gaza. Segundo a embaixada do Brasil em Israel, que encontrou com a irmã de Nisenbaum, nesta quinta, o homem de 59 anos imigrou com a irmã para Israel no início da década de 1980 e eles viveram muitos anos em kibutz nos arredores de Gaza. Pai de duas filhas e quatro netos, ele perdeu contato com a família no dia 7 de outubro a caminho de buscar sua neta, que dormira naquela noite com o pai, um soldado israelense. Quando sua filha tentou entrar em contato com ele, às 7h20, a ligação foi atendida em árabe e ouviram-se gritos de “Hamas”. Desde então os familiares lutavam para ter informações sobre o seu paradeiro, sem saber se estava vivo ou morto.

O Itamaraty tomou conhecimento sobre o desaparecimento de Nisenbaum, dias após o início da guerra no Oriente Médio. Para encontrar o homem, a família chegou a abrir um caso de pessoas desaparecida e disponibilizaram todas as informações necessárias para acelerar e facilitar o processo de busca, contudo, ainda não tiveram nenhuma resposta, conforme relatou uma de suas filhas nas redes sociais. A Embaixada de Israel no Brasil também comentou sobre o sequestro de Nisenbaum. “Um brasileiro do Rio de Janeiro nas mãos do Hamas! Ido, Alma e Ofri são netos do brasileiro Michel Nisenbaum. Michel foi sequestrado pelo grupo terrorista Hamas no dia 07 de outubro. Seus netos querem ele de volta para casa! Nós queremos ele de volta para casa!”, escreveram. Diante da informação que ele está entre os reféns – estima-se que ele seja o único brasileiro entre os sequestrados – a Embaixada do Brasil garantiu a irmã da vítima que o Brasil está fazendo tudo ao seu alcance para ajudar na libertação do brasileiro e dos demais reféns.

 

“O Brasil mantém relações diplomáticas com todos os estados-membros das Nações Unidas, é membro do BRICS, grupo de países que inclui Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, mantém relações diplomáticas com Israel e com a Autoridade Palestina, assim como com os moderadores do acordo: Catar e Egito”, escreveram em nota nas redes sociais. Atualmente, está em vigor, desde o dia 24 de novembro, uma trégua entre Israel e Hamas que permite a libertação de reféns em troca de presos palestinos. O acordo, que tem previsão de encerrar na sexta-feira, 1, às 7h (2h em Brasília), ainda não tem previsão de ser prorrogado, contudo, os negociadores, Catar e Egito, pressionando para que ela dure mais dias.  A trégua permitiu a libertação de 97 reféns em Gaza, entre eles 73 israelenses e 24 estrangeiros, e 210 prisioneiros palestinos, além de permitir o envio de ajuda humanitária para o enclave, que enfrenta um “cerco total” de Israel, que cortou o fornecimento de alimentos, água, energia elétrica e combustível.

 

 

 

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Israel acusa ONU de ignorar crimes do Hamas por pedir embargo de armas

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, acusou os relatores e especialistas da ONU (Organização das Nações Unidas) de “ignorar os crimes de guerra, os crimes sexuais e os crimes contra a humanidade” cometidos pelo grupo palestino Hamas. A declaração ocorre após 37 membros da entidade pedirem na última sexta-feira, 23, um embargo

Youtuber é condenada a 30 anos de prisão por abuso infantil

Ruby Franke, a norte-americana que fornecia orientação parental no Youtube, foi sentenciada a uma pena de até 60 anos de prisão por quatro crimes de abuso agravado de crianças. Ela cumprirá uma pena efetiva de até 30 anos, o tempo máximo por acumulação jurídica no estado de Utah. A acusação incluía quatro crimes de abuso

Milei participa de evento com Trump nos EUA e sinaliza apoio ao republicano

O presidente da Argentina, Javier Milei, e o ex-presidente Donald Trump compartilharam um abraço entusiasmado na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC) em Maryland, nos Estados Unidos. Em vídeo compartilhado por um membro da campanha do republicano, o argentino aparece gritando “presidente” e puxando Trump para um abraço antes de tirarem fotos juntos. O norte-americano