Teto de juros do crédito consignado do INSS cai para 1,80% ao mês

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos


fta20230523193

O Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) aprovou, em reunião realizada nesta segunda-feira, 4, a redução das taxas de juros do crédito consignado para aposentados, pensionistas do INSS e beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC). Essa medida é destinada a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda. O limite para o empréstimo com desconto em folha passou de 1,84% para 1,80% ao mês. Já para as operações com cartão de crédito e cartão consignado de benefício, o índice máximo caiu de 2,73% para 2,67% ao mês. As novas taxas de juros entrarão em vigor após cinco dias úteis a partir da publicação da resolução do CNPS. Essas mudanças acompanham a redução da Selic pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que atualmente está em 12,25%. Segundo o Ministério da Previdência Social, essa redução visa facilitar o acesso ao crédito consignado, uma vez que o valor é descontado diretamente na folha de pagamento.

Essa é a quarta redução das taxas de juros neste ano. Em março, o limite para o empréstimo com desconto em folha passou de 2,14% para 1,97% ao mês. Em agosto, a taxa caiu para 1,91% e, em outubro, recuou para 1,84%. Para a modalidade de cartão de crédito, o índice máximo também teve redução, passando de 2,89% para 2,83%. No entanto, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) alerta que essa redução pode comprometer a estrutura de custos e diminuir a oferta de crédito. Para auxiliar os segurados, o aplicativo Meu INSS disponibiliza as taxas de juros praticadas pelas instituições financeiras no Brasil. Dessa forma, os beneficiários podem consultar em qual banco a taxa de juros está mais favorável e realizar a portabilidade do empréstimo. Com essa medida, espera-se que mais pessoas tenham acesso a empréstimos com juros mais baixos, facilitando a vida financeira dos aposentados, pensionistas e beneficiários do BPC.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Secretário de Haddad propõe no G20 discussão sobre tributação de heranças e de grandes empresas

O secretário de política econômica do ministério da Fazenda, Guilherme Mello, disse nesta quarta-feira, 28, que a tributação sobre grandes heranças e sobre o lucro de grandes empresas estará presente na pasta nas próximas reuniões do G20. “O Haddad já mencionou mais de uma vez sua preocupação sobre essa temática e trouxe o que entendemos

Renda média do brasileiro chega a R$ 1.893 por pessoa, aponta IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira, 27, dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) que mostram que a renda domiciliar per capita nominal dos brasileiros ficou em média de R$ 1.893 em 2023. As informações são divulgadas conforme determinação da Lei Complementar 143/2013, que dita os

Bilionários precisam pagar mais impostos, diz Haddad em reunião do G20

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta quarta-feira, 28, que os bilionários precisam pagar mais impostos. “Precisamos admitir que ainda precisamos fazer com que os bilionários do mundo paguem sua justa contribuição em impostos”, disse. “Chegamos a uma situação insustentável, em que os 1% mais ricos detêm 43% dos ativos financeiros mundiais e emitem a