TAGS

Município baiano lidera desmatamento no Cerrado em janeiro; bioma registra melhora na conservação

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

O município de Cotegipe, no oeste baiano, foi o líder do desmatamento do Cerrado em janeiro, com cerca de 2 mil hectares perdidos, um aumento de 224% em relação à área de vegetação nativa perdida em dezembro do ano anterior. O município não havia figurado entre os maiores desmatadores do bioma em 2023.

Os números foram divulgados nesta quinta-feira (29)  pelo SAD Cerrado (Sistema de Alerta de Desmatamento do Cerrado) desenvolvido pelo IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia).

 

Cotegipe registrou aumento de aumento de 224% no desmatamento em janeiro de 2024 Fonte: SAD Cerrado/IPAM.

 

Ao todo, foram detectados 31 alertas de supressão de vegetação nativa em Cotegipe, colocando sua média de desmatamento em 64 hectares para cada alerta, considerada elevada pelas pesquisadoras do SAD Cerrado. Além disso, 99% dos alertas detectados neste município, que possui 13 mil habitantes, foram registrados em áreas com cadastro ambiental rural privado.

 

“Esse mês observamos uma migração do desmatamento para municípios da região do oeste da Bahia onde antes não havíamos detectado grandes áreas desmatadas. Isso é um indicativo de que o desmatamento está expandindo para outros municípios da região, onde ainda existem grandes fragmentos de vegetação remanescente de Cerrado”, destaca Fernanda Ribeiro, pesquisadora do IPAM e coordenadora do SAD Cerrado.

 

DESMATAMENTO DIMINUIU

Em janeiro de 2024, foram desmatados 51 mil hectares de vegetação nativa do Cerrado, 48% a menos do que em dezembro de 2023. A área desmatada no primeiro mês deste ano foi a menor detectada nos últimos 11 meses.

 

Para as pesquisadoras do SAD Cerrado e IPAM, a desaceleração no desmatamento pode ser explicada, em parte, pela implementação de políticas públicas e pela chuva intensa que cai na região, que afetam a detecção de novas áreas abertas. As cientistas também destacam que os esforços pela preservação do Cerrado devem acompanhar as políticas federais para a Amazônia.

 

“Essa diminuição na área de desmatamento detectada pode ser explicada em parte por políticas públicas implementadas recentemente no bioma. Apesar da redução neste mês, ainda não podemos afirmar se o desmatamento está de fato diminuindo em 2024. Estamos passando pelo período de chuvas no bioma, o que dificulta a detecção de alertas devido a alta cobertura de nuvens nessa época do ano. É necessário que os esforços do governo para combate e controle do desmatamento estejam agora voltados para o Cerrado, assim como foram voltados para a Amazônia no ano passado”, comenta Fernanda Ribeiro, pesquisadora do IPAM e coordenadora do SAD Cerrado.

 

Área desmatada no Cerrado entre janeiro de 2023 e janeiro de 2024. Fonte: SAD Cerrado/IPAM.

 

Apesar do bom resultado, o primeiro mês de 2024 registrou uma área desmatada 10% maior do que em janeiro de 2023, quando foram derrubados 46 mil hectares. A dominância do Matopiba – fronteira agrícola composta por partes dos Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia – também se manteve: 64% de todo o desmatamento de janeiro ocorreu na região, totalizando 33 mil hectares perdidos.

 

No Tocantins, líder do ranking em janeiro, foram desmatados 10 mil hectares, 40% a mais do que o registrado em janeiro de 2023. No Piauí, em seguida, também foram perdidos cerca de 10 mil hectares de vegetação nativa. O estado registrou uma área desmatada similar ao primeiro mês de 2023, quando também foram desmatados 10 mil hectares. A terceira posição foi ocupada pela Bahia, que além de ter quatro dos dez municípios que mais desmataram em janeiro, perdeu 9 mil hectares de Cerrado, 2% a menos do que em janeiro passado.

 

Fora do Matopiba, o Goiás registrou uma diminuição na área desmatada. A área desmatada no estado passou de 4,5 mil hectares em janeiro de 2023 para 3,5 mil em 2024, totalizando uma redução de 22%. Minas Gerais e Mato Grosso do Sul, no entanto, aumentaram a derrubada do Cerrado e somaram, juntos, 8 mil hectares perdidos, um aumento de 23% em relação ao que derrubaram em janeiro de 2023.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Micareta de Feira: Adão Negro leva grande público para palco Reggae Vibes

A banda Adão Negro atraiu um grande público ao palco Reggae Vibes Jota Morbeck na noite deste sábado (20), dentro da programação da Micareta de Feira 2024. Com um repertório repleto de sucessos e mensagens de positividade, a banda mostrou mais uma vez por que é uma das mais queridas do cenário reggae nacional. Com

PDT Bahia elege novo presidente da juventude do partido; legenda aposta na renovação de quadros para eleições

O futuro advogado Carlos Brasileiro foi eleito presidente da Juventude Socialista do PDT da Bahia (JS-BA). A eleição aconteceu neste sábado (20), durante o primeiro congresso estadual do movimento, realizado no Centro Cultural da Câmara Municipal de Salvador, que reuniu lideranças pedetistas da capital e do interior    Ainda no congresso, a JS-BA aprovou decisão

Reportagem especial do Globo Repórter mostra o local onde os primeiros portugueses chegaram ao Brasil

O sul da Bahia e suas belezas são mostradas nessa reportagem que foi ao ar na última sexta-feira, dia 19 de abril, em comemoração aos 524 anos do Brasil e do primeiro contato dos portugueses com os povos originários. A reportagem tenta percorrer os passos...