Nos 10 anos da Lava Jato, Deltan vai ao “triplex do Lula” e ataca STF

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

São Paulo — No mês em que a Operação Lava Jato completa dez anos, o ex-deputado e ex-procurador da República Deltan Dallagnol foi ao Guarujá, no litoral paulista, gravar um vídeo em frente ao triplex que resultou na primeira condenação (anulada) do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para criticar o petista e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Na praia das Astúrias, em frente ao Edifício Solaris, que abriga o triplex no 16º andar, Deltan disse que a Lava Jato, operação da qual ele foi coordenador em Curitiba, no Paraná, “colocou medo em políticos corruptos” no Brasil “pela primeira vez na história”. No vídeo, ele diz que “hoje, infelizmente, eles [políticos] não têm mais medo de serem presos porque o STF decidiu abraçar a impunidade que impera em nosso país”.

“Esse aqui é o triplex do Guarujá do Lula, que me custou mais de R$ 100 mil de multa por eu fazer o meu trabalho. E o que esse triplex rendeu pro Lula? Nada. É claro que teve condenação por corrupção, por lavagem de dinheiro, em três instâncias da Lava Jato, mas o STF anulou”, diz Deltan no vídeo postado em suas redes sociais.

A multa mencionada pelo ex-coordenador da extinta força-tarefa da Lava Jato em Curitiba está relacionada à condenação dele ao pagamento de indenização a Lula por causa do famoso powerpoint exibido por ele na coletiva de imprensa em que a Lava Jato divulgou a denúncia contra o atual presidente no caso do triplex do Guarujá. Deltan fez uma campanha de doações via Pix a arrecadou dinheiro para pagar a multa.

O caso do triplex resultou na primeira condenação de Lula na Lava Jato, imposta pelo então juiz Sérgio Moro, atual senador pelo União Brasil, e na prisão do atual presidente, em abril de 2018, após a confirmação da sentença em segunda instância, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). A decisão foi mantida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Lula ficou 580 dias preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba.

Lula foi libertado um ano e sete meses depois, em 2019, após o STF rever o entendimento de prisão após condenação em segunda instância. Em 2021, o Supremo declarou a suspeição de Sergio Moro para atuar nos processos envolvendo Lula, anulando as condenações do petista, no caso do triplex do Guarujá e do sítio de Atibaia. Depois disso, os casos foram arquivados por prescrição.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Delegado do caso Marielle suplica para ser ouvido e Moraes atende pedido

O delegado Rivaldo Barbosa, preso por suspeita de planejar o assassinato da vereadora do Rio Marielle Franco, vai ser ouvido pela Polícia Federal após suplicar ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moares, que atendeu ao pedido. A intimação acontece após Rivaldo Barbosa enviar bilhete ao ministro pedindo "pelo amor de Deus" para

Saiba quem é a mulher encontrada carbonizada na RMS

Um corpo foi encontrado carbonizado neste domingo (26) em uma área de mata na cidade de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador. A vítima, Suelem dos Santos Ferreira, de 28 anos, era manicure e mãe de quatro filhos, com idades entre 7 e 14 anos.   De acordo com o G1, o corpo de

Livraria Cultura vai abrir loja em casarão histórico de Higienópolis

São Paulo — Depois de fechar a famosa loja no Conjunto Nacional, a Livraria Cultura vai inaugurar uma nova unidade em um casarão histórico em Higienópolis, bairro nobre na região central de São Paulo. A informação, divulgada em uma rede social, foi confirmada ao Metrópoles pelo advogado da rede, Gustavo Bismarchi. Antes de fechar as