PF prende dupla acusada de financiar roça de 12 mil pés de maconha no Norte baiano

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Uma ação da Polícia Federal (PF) prendeu nesta sexta-feira (15) duas pessoas acusadas de financiar o plantio de maconha em Campo Formoso, no Piemonte Norte do Itapicuru. Além dos dois mandados de prisão temporária, os agentes também cumpriram dois de busca e apreensão no âmbito da Operação Colheita. A ação é um desdobramento da Operação Polígono 3, deflagrada em junho do ano passado.

 

Na ocasião, os policiais erradicaram uma plantação – de duas tarefas de área – com 12 mil pés de maconha, em Campo Formoso. Os presos seriam responsáveis pelo financiamento do cultivo ilegal. Os investigados poderão ser indiciados pelo crime de cultivar maconha sem autorização.

 

Ainda segundo a PF, o nome da operação faz referência ao amadurecimento dos trabalhos investigativos, que permitiram identificar os responsáveis pela roça erradicada na Operação Polígono, em paralelo ao desenvolvimento da cultura ilícita.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Embasa flagra furto de 170 mil litros de água em Arraial d’Ajuda

A Embasa, concessionária de saneamento básico do estado, flagrou, nesta terça-feira (28), cerca de 17 ligações clandestinas no bairro Alto do Vilas, em Arraial d'Ajuda, distrito de Porto Seguro. Segundo a empresa, aproximadamente 170 mil litros de água eram furtados mensalmente.   Ação ocorreu durante a realização de oito novas ligações de água na localidade.

Mulher é encontrada morta após provocar e levar soco de torcedor do Bahia

O corpo de Sione Matos dos Santos, de 46 anos, foi encontrado dentro de casa, na noite desta segunda-feira (27), na localidade do Bairro da Paz, em Salvador. Informações preliminares apontam que ela teria sido agredida em um bar na noite de domingo (26), após brincar com um homem sobre a eliminação do Bahia na

Doações a ONG teriam sido usadas em campanha defendida por Dallagnol

Em conversas que integram os documentos da Operação Spoofing, obtidas por meio de um ataque hacker, Bruno Brandão, diretor da organização não governamental (ONG) Transparência Internacional (TI) Brasil, de combate à corrupção, trocou mensagens com o ex-procurador Deltan Dallagnol (foto em destaque), em 2017, sobre uma possível doação à instituição que teria parte revertida em prol