Rússia realiza ataques contra cidade ucraniana Odessa e deixa ao menos 20 mortos

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos


ataque russia na ucrania

Em meio as eleições presidenciais realizadas na Rússia, que começaram nesta sexta e vão até domingo, 17, as tropas de Vladimir Putin, atacaram a cidade de Odessa, na Ucrânia. Os bombardeios deixaram ao menos 20 mortos e 73 feridas nesta sexta-feira, 15. Esse foi um dos piores ataques russo contra a grande cidade portuária no sul do país, que já foi atacada duas vezes nos últimos dias. O presidente Volodymyr Zelensky denunciou o “ataque infame” realizado com dois mísseis. O segundo míssil atingiu “no momento em que os socorristas e médicos chegavam ao local”. “Entre os mortos estão moradores, um paramédico e um socorrista”, disse o governador regional Oleg Kiper no Telegram. Os profissionais da saúde foram vítimas de uma segunda explosão enquanto prestavam ajuda no local do ataque às vítimas de um primeiro impacto.

cta_logo_jp

Segundo informou o Exército ucraniano, a Rússia utilizou mísseis balísticos Iskander-M no ataque, que foi lançado a partir da península ocupada da Crimeia e danificou pelo menos dez edifícios residenciais, um posto de gasolina, um gasoduto e diversas ambulâncias e veículos de bombeiros. O conselheiro do gabinete presidencial ucraniano, Mikhail Podoliak, associou o ataque à realização dessas eleições. “Putin envia uma mensagem clara ao mundo no dia em que começa o procedimento para a sua redesignação ditatorial’”, escreveu Podoliak nas suas redes sociais. A Prefeitura decretou um dia de luto para o sábado, 16, depois do ataque, um dos mais letais em Odessa desde o início da invasão russa contra a ex-república soviética, há mais de dois anos.

*Com informações da EFE e AFP

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Ataque a campo de refugiados de Gaza foi ‘incidente trágico’, diz Netanyahu

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou que o ataque de Israel ao campo de refugiados de Rafah foi "incidente trágico". Ao menos 45 pessoas morreram. Premiê afirmou que ataque a Rafah será investigado. Ao Parlamento de Israel, Netanyahu afirmou que o país retirou "um milhão de moradores que não

Israel é criticado por comunidade internacional por ataque em Rafah, e EUA pedem precauções para proteger os civis

A Casa Branca disse estar impactada com o bombardeio israelense em Rafah, na Faixa de Gaza, que deixou ao menos 45 pessoas mortas, e pediu para que Israel tome precauções para proteger os civis. “Deixamos claro que Israel deve tomar todas as precauções possíveis para proteger os civis”, disse um porta-voz do Conselho de Segurança

Macron apela por uma Europa forte e soberana, visando ‘defesa e segurança’ diante da ameaça russa

O presidente francês, Emmanuel Macron, fez um apelo na Alemanha, nesta segunda-feira (27), para que se tenha uma Europa mais forte e soberana como garantia da paz, prosperidade e democracia, em um momento que o velho continente atravessa “um momento sem precedentes na sua história” e, diante da ameaça russa, deve pensar na sua própria