Sujou, Bolsonaro. Definitivamente, você perdeu!

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Como o ex-presidente Jair Bolsonaro rebateu até aqui a acusação de que tramava um golpe para anular os resultados das eleições de outubro de 2022, barrar a posse de Lula e continuar no poder?

Dizia que golpe não se dá com minuta, mas com tropas nas ruas e apoio civil. Jamais assinatura de minuta alguma. E que a cópia de uma minuta encontrada no seu escritório do PL foi só para que ele a lesse.

Também dizia que sempre jogou dentro das quatro linhas da Constituição, que é um democrata e que nunca passou por sua cabeça dar um golpe. Quem dissesse o contrário era um mentiroso.

O tenente-coronel Mauro Cid, seu ex-ajudante de ordem, disse à Polícia Federal que Bolsonaro planejou o golpe e que conversou a respeito com os comandantes das Forças Armadas à época.

Bolsonaro empenhou-se em desacreditar a delação feita por Mauro Cid, mas com a preocupação de não bater de frente com ele. Alimentava a esperança de que Mauro Cid voltasse atrás.

De resto, na hipótese de que ele não voltasse atrás, seria sua palavra contra a dele, apesar das fortes provas recolhidas pela Polícia Federal de que Mauro Cid falou a verdade e que Bolsonaro mentia.

A revelação, ontem, da íntegra do depoimento do general Freire Gomes, ex-comandante do Exército, prestado à Polícia Federal, deixou Bolsonaro pendurado na broxa. Ou melhor: pendurado em nada.

O general confirmou o que Mauro Cid contou, acrescentou detalhes e culpou diretamente Bolsonaro por tudo que poderia ter acontecido no país caso o golpe tivesse dado certo.

Segundo Freire Gomes, foi o próprio Bolsonaro quem apresentou duas vezes aos comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica uma espécie de cardápio do golpe, com vários pratos.

Primeiro prato: golpe via decretação de uma GLO, Operação de Garantia da Lei e da Ordem que permite ao presidente da República valer-se das Forças Armadas para que exerçam o papel de polícia.

Segundo prato: golpe via decretação do Estado de Defesa, “instrumento que o presidente da República pode utilizar, ouvidos o Conselho da República e o Conselho de Defesa Nacional, para preservar ou prontamente restabelecer, em locais restritos e determinados, a ordem pública ou a paz social ameaçadas”.

Terceiro prato: golpe via decretação do Estado de Sítio, “instrumento que pode ser utilizado pelo presidente da República, nos casos de: comoção grave de repercussão nacional ou ocorrência de fatos que comprovem a ineficácia de medida tomada durante o Estado de Defesa”.

Gomes Freire conta que ele e o comandante da Aeronáutica recusaram-se a comer qualquer dos pratos que Bolsonaro lhes ofereceu, mas que o comandante da Marinha concordou em comer.

A terceira reunião sobre o golpe já não contou com a presença de Bolsonaro. Quem a presidiu foi o general Paulo Sérgio Nogueira, ministro da Defesa, que insistiu com a ideia do golpe.

Uma coisa é Bolsonaro dizer que não há minuta de golpe assinada por ele e que nunca ouvira falar em minutas até que uma lhe caísse nas mãos, sem que ele lembre quem a entregou.

Outra é Gomes Freire dizer, o que também disse à Polícia Federal o ex-comandante da Aeronáutica, que por duas vezes, pessoalmente, Bolsonaro apresentou-lhes minutas de golpe e as discutiu com eles.

No entorno de Bolsonaro, segundo Bela Megale, colunista do Globo, o depoimento de Freire Gomes está sendo considerado até agora “o relato mais grave” sobre a participação do ex-presidente no episódio.

Não se deve subestimar Bolsonaro, porém. Ele adora atirar no seu pé. Quando se pensa que já atirou o suficiente, vem à luz um novo disparo. Bolsonarista é assim e sempre será.

Gravam-se marchando, venerando pneus, depredando prédios públicos e postam os vídeos nas redes sociais como provas dos crimes que cometeram.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Promover desenvolvimento sustentável e combater desigualdades são prioridade da prefeitura, afirma Bruno Reis

O prefeito de Salvador, Bruno Reis, afirmou nesta segunda-feira (27), durante a abertura das discussões do Grupo de Trabalho (GT) de Desenvolvimento do G20, que a gestão municipal tem como prioridade promover o desenvolvimento sustentável e combater as desigualdades na capital baiana. O evento, que acontece até quarta (29) no Centro de Convenções, reúne lideranças

Angélica anuncia novo programa voltado para homens no GNT

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Angélica anunciou nesta segunda-feira (27) um novo programa no GNT. Desta vez, a atração será voltada aos homens. O canal de TV paga contou sobre o novo programa da apresentadora. "Ano passado, Angélica recebeu mulheres incríveis no programa '50 & tanto'. Agora, sob o comando dela e na presença

Fernanda Paes Leme se pronuncia após suposto climão com Juliette

Alguns internautas apontaram um climão entre Juliette e Fernanda Paes Leme no programa Quem Não Pode Se Sacode, da GNT. A cantora e a apresentadora tiveram interações apontadas como ríspidas pela web. No programa que foi ao ar na última quinta-feira (23/5), a vencedora do BBB 21 questionou as regras das apresentadoras. “Vocês estão deixando