Vulcão La Cumbre entra novamente em erupção e coloca Equador em alerta

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

O vulcão La Cumbre, na ilha Fernandina, no arquipélago de Galápagos, Equador, entrou em erupção na noite de sábado (3 de março), de acordo com o Ministério do Ambiente, Águas e Transição Ecológica (MAATE) do país.

Embora a ilha não seja habitada, a Direção do Parque Nacional das Galápagos colocou-a em alerta, pois a lava está a cair em direção ao mar e a ilha é o lar de diversas espécies endêmicas, como iguanas.

As autoridades estão monitorando a situação para registrar alterações no ecossistema. As erupções vulcânicas, segundo as autoridades locais, “fazem parte do ciclo natural das ilhas e influenciam a ecologia e a biodiversidade”.

O MAATE garante que a erupção não representa uma ameaça para o turismo, pois nenhuma das áreas acessíveis aos visitantes foi interditada.

A duração da erupção é incerta, mas, segundo o Instituto Geofísico do Equador, esta é a maior erupção do La Cumbre desde 2017.

Histórico de erupções:

O vulcão La Cumbre, um dos mais ativos das Galápagos, já entrou em erupção quatro vezes nos últimos oito anos, a última vez em janeiro de 2020.

Leia Também: Vulcão Popocatépetl em erupção causa transtornos no México; veja

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

EUA: Idosa assalta banco e leva 500 dólares (após ser vítima de golpe)

Uma mulher, de 74 anos, foi presa depois de ter assaltado um banco em Hamilton, no estado norte-americano de Ohio. De acordo com a CBS News, tudo aconteceu no 19 de abril, quando a mulher, com uma máscara de proteção e roupas neutras entrou numa agência e "exigiu dinheiro enquanto mostrava uma arma". Horas depois

Dezenas de baleias encalham em massa na Austrália

Cerca de 160 baleias-piloto encalharam em uma praia perto da cidade de Dunsborough, no sudoeste do estado da Austrália, nesta quinta-feira (25). Pelo menos 26 delas, morreram. A área é uma região popular entre os turistas, e a cerca de 236 km ao sul da capital do estado, Perth. Os funcionários do Departamento de Biodiversidade

Gripe aviária: OMS quer rede mundial e alerta para “potencial epidêmico”

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou, esta quarta-feira (25), para a importância de criar redes mundiais de detenção do vírus H5N1, que causa a gripe aviária, e que tem vindo criar alertas. Segundo a epidemiologista Maria Van Kerkhove, apesar de a rede de vigilância das aves já estar muito desenvolvida, "o que realmente precisamos