Após conflitos entre facções, administração do Alphaville 2 restringe acesso as áreas comuns do condomínio em Salvador

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Após a troca de tiros registrada na localidade da Vila Verde, na região de Mussurunga, nesta quarta-feira (10), a administração do complexo de condomínios Alphaville Salvador 2, decidiu restringir o acesso dos associados às áreas comuns, a exemplo de campo e quadras de areia.

 

Em comunicado enviado, a administração justifica que o acesso ficará restrito aos espaços que possam expor a risco, e informa que as aulas programadas estão suspensas.

 

“Essa restrição ocorrerá até que a situação seja efetivamente normalizada pela polícia, que está em operação no presente momento”.

 

Nesta quinta (11), o bairro amanheceu sem a presença dos ônibus, após recomendação do Sindicato dos Rodoviários para que os coletivos não entrassem no local. Uma intensa troca de tiros ter sido registrada nesta quarta-feira (10), entre facções criminosas rivais.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Em Bom Jesus da Lapa, Bombeiros combatem incêndio em vegetação

Uma equipe de Bombeiros, do 20º Batalhão de Bombeiro Militar, combateu o incêndio que atingiu uma área de vegetação no bairro Mirante da Lapa, em Bom Jesus da Lapa, no oeste baiano, na última quarta-feira (29).   A atuação para o combate ao fogo começou um pouco depois das 12h, após um pedido de ajuda

Em Guanambi, homem com mandado de prisão em aberto é preso

Um homem acusado de receptação foi preso, nesta terça-feira (28), em Guanambi, pelo 17º Batalhão de Polícia Militar. O suspeito possuía um mandado de prisão em aberto. As informações são do site Achei Sudoeste, parceiro do Bahia Notícias.   A Polícia Militar recebeu informações de que um homem teria comprado objetos oriundos de um furto

Stalker: juiz prorroga medidas protetivas contra delegado da PCDF

O Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Águas Claras prorrogou, por mais três meses, as medidas protetivas fixadas contra o ex-delegado-geral da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) Robson Cândido. A decisão é da última terça-feira (28/5). Robson Cândido é acusado de usar a estrutura da PCDF, quando era chefe da