Mais de 15 mil presos não voltaram para a prisão após “saidinhas”

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

O número de detentos que não retornaram às prisões após desfrutarem das saídas temporárias — as conhecidas “saidinhas” ou “saidões” — passou dos 15 mil no ano passado. A informação consta no Relatório de Informações Penais, que é elaborado pela Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen).

De janeiro a junho do ano passado, foram 7.630 que não retornaram à unidade prisional, o que representa cerca de 6,3% do total que teve acesso ao benefício. No semestre seguinte, de julho a dezembro, foram 7.619 registros de abandono, uma fatia de 5,6%.

Dispõem do benefício da saída temporária apenas detentos em regime semiaberto e que já tenham cumprido um sexto da pena total e que tenham bom comportamento. Durante o período de liberdade, é proibido que eles frequentem bares e casas noturnas, além de ser exigido o recolhimento à residência visitada no período noturno.

A saída temporária está prevista na Lei de Execução Penal, que entrou em vigor em 1984. O instrumento foi sancionada pelo general João Batista Figueiredo, durante a ditadura militar.

Somados os dois ciclos de pesquisa de 2023, a unidade da federação com mais abandonos é São Paulo, 5,9 mil registros. Na segunda posição, figura o estado de Minas Gerais, com 1,9 mil presos, e na sequência o Rio de Janeiro, com 1,3 mil casos.

Confira o ranking completo:

Os dados provém do Formulário de Informações Prisionais, dentro do Sistema Nacional de Informações Penais (Sisdepen). As informações são preenchidas por servidores indicados pelas secretarias de administração prisional de todos os estados e Distrito Federal.

O Metrópoles entrou em contato com o Ministério da Justiça e Segurança Pública para comentar os dados, mas não houve retorno até o momento. O espaço segue aberto para eventuais manifestações.

Veto presidencial Nessa quinta-feira (11/4), o presidente Lula (PT) vetou parcialmente o PL das Saidinhas, que trata da restrição do benefício das saídas temporárias aos presos. O presidente acatou parecer do Ministério da Justiça e Segurança Pública, que recomendou a sanção com veto ao trecho que restringia saídas para visitar a família.

O ministro Ricardo Lewandowski afirmou que o veto tem anuência do advogado-geral da União (AGU), Jorge Messias.

“Nós entendemos que a proibição às famílias dos presos que já se encontram no regime semiaberto atenta contra valores fundamentais da Constituição: o princípio da dignidade da pessoa humana, o princípio da individualização da pena e na obrigação que tem o Estado de proteger a família”, argumentou o ministro da Justiça.

“Preservamos todas as outras restrições estabelecidas pelo Congresso, como a necessidade de exame criminológico para progressão de regime e o uso de tornozeleiras eletrônicas”, completou o ministro.

O veto atinge o projeto de lei nº 2.253/22 aprovado pela Câmara dos Deputados em março deste ano. O texto estipulava que o benefício seria concedido apenas aos detentos em regime semiaberto para estudar ou trabalhar.

As saidinhas costumam ocorrer em datas comemorativas, como Dia das Mães, Páscoa e Natal. Atualmente, a Lei de Execução Penal permite que presos em regime semiaberto sejam beneficiados com a saída temporária, cumprindo requisitos como bom comportamento.

Como mostrou a coluna de Igor Gadelha, do Metrópoles, lideranças da Câmara acreditam que o Congresso Nacional derrubará o veto de Lula ao projeto de lei.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Prefeitura entrega 100 casas reformadas pelo Morar Melhor em Ilha Amarela

A mudança de vida promovida pela Prefeitura, por meio do programa Morar Melhor, alcançou 100 famílias no bairro de Ilha Amarela. É a primeira vez que o programa, que promove melhorias habitacionais em residências, contempla o bairro. O prefeito Bruno Reis participou da entrega das residências reformadas aos moradores na noite desta segunda-feira (27), ao

Repórter cai do 3º andar de prédio após sair do trabalho para fazer sexo

Um repórter da CNN Brasil em Brasília, que participa de transmissões ao vivo no programa Novo Dia, sofreu uma queda do terceiro andar de um prédio localizado no bairro Asa Norte, no Distrito Federal. Segundo informações apuradas pelo portal Metrópoles, e divulgadas pelo Portal Leo Dias, o incidente ocorreu na quinta-feira (23/05), após o repórter

Vídeo: após desmaio em A Grande Conquista, Bruno Cardoso é internado

Os participantes de A Grande Conquista levaram um baita susto, na segunda-feira (27/5), quando um dos participantes passou mal e desmaiou. Bruno Cardoso foi retirado da mansão às pressas e levado para um hospital, onde ficou internado. Nas redes sociais do artista, a equipe falou sobre o caso: “Veja o momento em que Bruno sente