Médica que acusou filho mais novo de Lula é afastada do trabalho

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

A médica Natália Schincariol, que denunciou o filho mais novo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Luís Cláudio Lula da Silva, por supostas agressões físicas e psicológicas, voltou a ser afastada do trabalho. O laudo do psiquiatra menciona “sintomas depressivos” e associa “conflitos conjugais” ao caso.

O afastamento é de 14 dias. Luís Cláudio nas redes sociais compartilhou comentários pejorativos sobre a aparência da médica, publicados no Brasil 247.

Na gravação, os jornalistas criticam a médica por levar o caso a público. Comentam ainda que “a pessoa que preserva a sua intimidade tem o caráter melhor”.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que, depois disso, a médica teve uma crise de ansiedade no trabalho.

Procurada pela reportagem, Natália não quis comentar o caso ou conceder entrevista.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia Também: Gosto por facas, acompanhante e doença aos 17 anos; o atacante de Sydney

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Santos perde João Paulo para o restante da temporada e vai atrás de outro goleiro

O Santos terá um desfalque importante para o restante da temporada. O goleiro João Paulo sofreu uma lesão grave no tornozelo esquerdo, rompendo o tendão de Aquiles durante a partida contra o América-MG. O jogador precisará passar por cirurgia, e o tempo estimado de recuperação é de seis a oito meses. O lance no qual

De ponta a ponta, monegasco Charles Leclerc vence em casa pela primeira vez na Fórmula 1

O piloto monegasco Charles Leclerc (Ferrari) venceu neste domingo (26) o Grande Prêmio de Mônaco pela primeira vez em sua carreira na Fórmula 1, na 8ª etapa da temporada 2024. A equipe italiana aproveita o momento para faturar a segunda vitória na temporada 2024. “Foi a corrida que me fez sonhar em um dia ser

Milton Leite teve ‘papel juridicamente relevante na execução dos crimes’ da Transwolff, diz Promotoria

ROGÉRIO PAGNANSÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Na investigação sobre a possível infiltração do PCC no transporte público da capital, promotores do Gaeco (grupo de combate ao crime organizado) afirmam que o presidente da Câmara de São Paulo, Milton Leite (União Brasil), teve "papel juridicamente relevante na execução dos crimes sob apuração" envolvendo a Transwolff. Os