Musk chama Moraes de ‘ditador’ em nova publicação e diz que ministro tem ‘Lula na coleira’

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Desde sábado, o empresário sul-africano Elon Musk tem utilizado a sua rede social, o X (antigo Twitter), para tecer críticas ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, após a exigência da suspensão de alguns perfis na rede. Após comentários afirmando que o ministro deveria “renunciar ou sofrer um impeachment” e pedir um “debate aberto” sobre o assunto, em sua última publicação na noite da segunda-feira, 8, Musk se referiu a Moraes como “ditador do Brasil” e afirmou que o juiz do Supremo possui “Lula na coleira”.

O embate começou no sábado, 6, após o STF exigir a suspensão de contas na plataforma do bilionário. Em resposta a uma publicação de Moraes, Musk sugeriu que os bloqueios de perfis de investigados por atos antidemocráticos eram “censura” e sugeriu que não mais cumpriria determinações judiciais do gênero, pois “princípios são mais importantes do que o lucro”.

No dia seguinte, o sul-africano afirmou que mostraria como as solicitações “violam a legislação brasileira”. Também no domingo, o dono do X passou a compartilhar com seus seguidores na rede social sugestões para o uso de VPNs, um método de conexão com a internet que pode burlar o bloqueio de contas restritas por ordem da Justiça.

Durante a segunda-feira, Elon Musk compartilhou publicação de políticos brasileiros como o deputado federal Marcel Van Hattem (Novo-RS) que criticavam Moraes.

Mais cedo na segunda, o presidente do STF, Luís Roberto Barroso, divulgou uma nota institucional com críticas ao que chama de “instrumentalização criminosa das redes sociais”.

Segundo ele, toda e qualquer empresa que opere no Brasil está sujeita à Constituição Federal.

“Decisões judiciais podem ser objeto de recursos, mas jamais de descumprimento deliberado”, disse o presidente do Supremo. “Essa é uma regra mundial do Estado de Direito e que faremos prevalecer no Brasil”, ressaltou Barroso.

Além da declaração pública do presidente da Corte, Musk já é formalmente alvo de investigação do Supremo. O empresário foi incluído no inquérito das milícias digitais, que é relatado por Moraes.

Segundo o relator, o proprietário do X “iniciou uma campanha de desinformação sobre a atuação” do STF e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), “instigando a desobediência e obstrução à Justiça, inclusive, em relação a organizações criminosas ordens emanadas da Justiça brasileira relacionadas ao bloqueio de perfis criminosos e que espalham notícias fraudulentas, em investigação nesta Suprema Corte”.

Leia Também: STF e Congresso reagem às críticas de Musk a Moraes

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Lula manifesta pesar pela morte do presidente do Irã

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lamentou, nesta segunda-feira (20), a morte do presidente do Irã, Ebrahim Raisi, e do chanceler do país, Hossein Amir Abdollahian. Neste domingo (19), o helicóptero que transportava as autoridades caiu, sob forte neblina, em uma área montanhosa no noroeste iraniano. “Minhas condolências aos familiares de todas as vítimas, ao

Liverpool anuncia Arne Slot, ex-técnico do Feyenoord, como substituto de Jürgen Klopp

O Liverpool anunciou nesta segunda-feira (20) o holandês Arne Slot como o novo treinador. Ele vai ficar no lugar de Jürgen Klopp que deixou o time após oito anos. “Podemos anunciar que Arne Slot fechou acordo para se tornar o novo técnico do clube, assumindo formalmente o cargo em 1º de junho de 2024, sujeito

Lula pede liberdade de Julian Assange, que ganhou direito a novo recurso na Justiça britânica

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu neste domingo, 19, a libertação do jornalista Julian Assange, fundador do site WikiLeaks, detido desde 2019 em uma prisão de segurança máxima em Londres. "Espero que a perseguição contra Assange termine e ele volte a ter a liberdade que merece o mais rápido possível", escreveu o presidente