Nadador morre durante prova de águas abertas na Bahia

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Uma prova de natação em águas abertas, realizada na cidade de Porto Seguro, na Bahia, foi suspensa por conta da morte de um atleta neste sábado (13/4). A fatalidade ocorreu durante a disputa da Copa Brasil e Campeonato Baiano de Águas Abertas. A morte foi confirmada pela Federação Baiana de Desportos Aquáticos e a disputa foi cancelada.

Dielson Pereira Hohenfeld, de 53 anos, acabou morrendo afogado durante a competição. Formado em educação física, Dielson exercia a função de diretor do Departamento de Ensino Superior, além de atuar na na direção do Instituto Federal da Bahia.

Segundo o portal GE, a entidade organizadora da prova afirmou que havia embarcações de apoio e salva-vidas para acompanharem os quase 130 atletas que disputavam a prova. Barcos e jet skis da federação, corpo de Bombeiros e Marinha faziam a segurança dos atletas.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Gabriela Prioli fará palestra magna de abertura da II Conferência Estadual da Jovem Advocacia Baiana

A conferência magna da noite de abertura da II Conferência Estadual da Jovem Advocacia Baiana será feita pela mestre em Direito Penal pela USP, a advogada Gabriela Prioli. O evento será no dia 5 de junho, a partir das 18h30, no Centro de Convenções de Salvador.    Com milhares de seguidores nas redes sociais, a

Três mortes são registradas em ações policiais em Salvador; veja bairros

Salvador registrou ao menos três mortes de suspeitos em confrontos com policiais militares entre a tarde de quarta-feira (29) e madrugada desta quinta (30). De acordo com a Polícia Militar, o primeiro confronto aconteceu na Rua Luís Eduardo Magalhães, no bairro de Itapuã, na tarde de quarta, e terminou com as mortes de dois homens.

Brigadeirão: empresário envenenado era “bondoso e sozinho”, diz primo

O empresário Luiz Marcelo Antônio Ormond, encontrado morto no apartamento onde morava, no bairro Engenho Novo, no Rio de Janeiro, dizia estar feliz com seu novo relacionamento, segundo o primo dele, Bruno Luiz Ormond. A namorada da vítima, Júlia Andrade Cathermol Pimenta, é suspeita de matar o empresário com um brigadeirão que continha 50 comprimidos