Falso médico é investigado por amputar perna de paciente após acidente em SP

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

gersonlavisio

Um homem de 32 anos é investigado pela Polícia Civil de São Paulo após ter se passado por médico e amputado a perna de um paciente depois de um acidente envolvendo três caminhões na cidade de Lavrinhas, no último dia 13. A colisão deixou uma das vítimas ficou com as pernas presas às ferragens, e Gerson Lavisio, que era o médico-chefe da equipe, decidiu pela amputação da perna da vítima.

Gerson atuava como médico-socorrista contratado pela Enseg, empresa que presta serviços médicos para a CCR SP-Rio, concessionária que administra a rodovia Presidente Dutra. Ele usava um diploma falso e sequer tem registro no Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp). Na momento de sua contratação, segundo a empresa, ele apresentou a cópia do diploma e um protocolo de abertura de pedido de CRM junto ao Cremesp feito em 9 de fevereiro deste ano.

csm acidente dutra d9651f1bd9

Acidente na rodovia presidente Dutra deixa caminhoneiro preso em ferragens �?? Foto: Polícia Rodoviária Federal

Ao g1, o conselho confirmou que o pedido continha um diploma falso. Ele alegava ter se formado em 2021 em uma universidade em São Paulo. O Cremesp ainda informou que vai denunciá-lo ao Ministério Público por falsidade ideológica e exercício ilegal da profissão.

Toda farsa foi descoberta após a equipe técnica do resgate acionar a Polícia Rodoviária Federal (PRF) por estranharem a decisão e a falta de técnica para a amputação da vítima do acidente. Os policiais rodoviários então acessaram o site do Conselho Regional de Medicina e verificarem seu número do CRM. Assim, descobriram que o registro profissional que Gerson usava pertencia a um médico já falecido e que seu diploma era falsificado.

Na última segunda-feira (15), ele prestou depoimento à Polícia Civil e confirmou não ter registro de médico e nem faculdade de medicina.

Histórico de farsas

Um reportagem do “Fantástico” ainda descobriu que o homem tem um longo histórico de golpes aplicados, já se fazendo passar anteriormente por médico, pastor e até inventando uma identidade falsa para uma antiga namorada.

Antes de atuar em Lavrinhas, Gerson foi contratado como médico por três empresas diferentes nos últimos quatro meses. Em um posto de saúde em Parelheiros, na Zona Sul de São Paulo, ele atendeu 18 pacientes em dezembro do ano passado, incluindo idosos e crianças. Para esse trabalho, ele usava o registro de um outro Gerson, que era de fato formado em medicina. Ele foi descoberto, denunciado e detido, mas foi liberado após prestar depoimento. 

“Continuava ainda se passando por médico, mesmo após todo o relato, boletim de ocorrência. E também acho que (este caso) é uma forma de cobrar essas empresas, essas instituições, muitas terceirizadas, que contratam esses profissionais médicos, para ter uma maior vigilância, né? Será que checaram o registro médico? Bateram os dados? �? muito grave isso. �? um sentimento de insegurança, de certa forma de impotência também. E de medo, medo por poder ser um familiar meu que poderia estar nas mãos dessa pessoa, desse criminoso”, comenta o médico que teve o CRM roubado, Gerson Butgnoli Junior.

Além de médico, o homem também já havia se passado por pastor e atraía fiéis em busca de direcionamento espiritual. Ainda segundo a reportagem, ele costumava pregar como convidado em algumas igrejas e divulgava nas redes sociais cultos em organizações falsas. Ele é acusado de pedir contribuições para viagens missionárias que nunca teriam acontecido.

O falso médico também aplicou golpes em uma ex-namorada. Regiane Arabi contou ao “Fantástico” que conheceu Gerson pela internet e que o emprestava dinheiro para ajudar a pagar algumas contas, mas nunca recebia a quantia de volta.

“As minhas amigas me alertavam. Falavam: ‘cuidado, porque ele não é médico'”, lembrou Regiane. “Agora quem vai desvendar ele sou eu. Por que ele vai ficar enganando mais quantas pessoas? Vai entrar na fragilidade das pessoas até quando? Ele tem que parar. Alguém tem que parar ele”, afirmou.

Ela ainda descobriu que Gerson também mantinha uma outra namorada. Regiane então a procurou e juntas elas descobriram que recebiam as mesmas mensagens e eram igualmente enganadas.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Apartamento que pegou fogo em Campinas tinha munições e granada

São Paulo — Uma perícia realizada na manhã deste domingo (25/2) confirmou a presença de munições e de uma granada no interior de um apartamento que pegou fogo na noite de sábado (24/2), em Campinas, no interior de São Paulo. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), as munições “foram deflagradas em decorrência

Projeto apresentado por Capitão Alden busca aumentar pena para quem faz denunciação caluniosa

Já está tramitando na Câmara dos Deputados o primeiro projeto apresentado pelo deputado Capitão Alden (PL-BA) neste ano de 2024. O projeto do deputado baiano - o Pl 98/2024 - tem como objetivo alterar o Código Penal para estabelecer o aumento de pena na conduta tipificada como "Denunciação Caluniosa" que envolva ambiente familiar de coabitação.

Ato bolsonarista reuniu 750 mil na Avenida Paulista, diz PM

São Paulo — De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), 750 mil pessoas, no total, participaram do ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) para  este domingo (25/2) na Avenida Paulista, em São Paulo (SP). Nas estimativas do órgão, o número leva em conta o público reunido na avenida, de 600 mil, e