Leão vai romper com o PT e está bem perto de apoiar Neto, dizem cardeais do PP

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

jairo costa

Lideranças do PP consideram irreversível a saída do partido da base governista e dão como praticamente consolidada a aliança com a oposição, a reboque da eventual candidatura do vice-governador João Leão a senador na chapa do ex-prefeito ACM Neto (União Brasil). Em conversas reservadas, integrantes do núcleo-duro do PP calculam que a chance de Leão aderir ao bloco de Neto ultrapassa os 90%, e o acordo depende de ajustes pontuais para ser fechado. Em especial, equacionar perdas causadas aos parlamentares da legenda após a ruptura com o PT.

Redução de danos
De acordo com deputados e dirigentes da sigla, a costura envolve sobretudo garantias do ministro da Casa Civil e cacique-mor do PP, Ciro Nogueira, de direcionar fatias gordas de emendas do orçamento secreto para redutos de interesse dos candidatos do partido no interior. O que, em tese, cobriria parte dos prejuízos decorrentes do corte de cargos no governo Rui Costa. Além, claro, de cota no secretariado da prefeitura de Salvador e no comando de órgãos federais na Bahia.

Do limão, limonada
Entre membros da bancada do PP na Câmara  e na Assembleia, o senador Jaques Wagner (PT) conseguiu uma proeza até então inimaginável ao aplicar a rasteira que tirou de Leão o sonho de assumir o governo por nove meses. No caso, unificar em torno do vice todas as correntes que duelavam internamente pelo poder no partido. Mesmo adversários mais duros de Leão, a exemplo do deputado federal Mario Negromonte Júnior, hipotecaram apoio incondicional a ele, independente da decisão a ser tomada. Em compasso simultâneo, a imensa maioria dos cerca de cem prefeitos do PP da Bahia prometeu seguir Leão para onde ele for.

Roda presa
Entre membros da bancada do PP na Câmara  e na Assembleia, o senador Jaques Wagner (PT) conseguiu uma proeza até então inimaginável ao aplicar a rasteira que tirou de Leão o sonho de assumir o governo por nove meses. No caso, unificar em torno do vice todas as correntes que duelavam internamente pelo poder no partido. Mesmo adversários mais duros de Leão, a exemplo do deputado federal Mario Negromonte Júnior, hipotecaram apoio incondicional a ele, independente da decisão a ser tomada. Em compasso simultâneo, a imensa maioria dos cerca de cem prefeitos do PP da Bahia prometeu seguir Leão para onde ele for.

Boi de piranha
Embora tenha ficado com o ônus pela barbeiragem que tirou a Bahia da atual temporada nacional de cruzeiros, resultado de um e-mail sem resposta no prazo previsto, o secretário estadual de Turismo, Maurício Bacelar, não teve a menor parcela de culpa no caso. Representantes do trade turístico afirmam que Bacelar fez o que estava ao seu alcance para incluir o estado na lista de roteiros definidos pela Associação Internacional de Cruzeiros Marítimos (Clia). No entanto, esbarrou no desinteresse do governador Rui Costa.

Dupla fora
Como não houve resposta ao pedido da Clia, Salvador e Ilhéus, únicas cidades do Nordeste no mapa dos grandes cruzeiros, perderam lugar no retorno da temporada, suspensa no fim de 2021 após a alta da covid.

Bolsonaro não cansa de perseguir o direito à terra dos indígenas e de tentar destruir nosso patrimônio ambiental. O PL 191, que avança na Câmara e permite mineração nessas terras,  é um completo absurdo
Alice Portugal, deputada federal pelo PCdoB da Bahia

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Malafaia chama Moraes de ditador, pede renúncia nas Forças e diz que Pacheco é frouxo

Na manifestação em Copacabana neste domingo, 21, o pastor Silas Malafaia, um dos organizadores do ato em apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), adotou uma retórica agressiva contra autoridades da República, referindo-se ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes como um "ditador com modus operandi" e descrevendo o presidente do Senado, Rodrigo

Bolsonaro: ‘Quando se fala em estado de sítio, era proposta para ser submetida ao Parlamento’

O ex-presidente Jair Bolsonaro afirmou que a "minuta do golpe", como ficou conhecido o documento que previa a intervenção no Poder Judiciário para impedir a posse do presidente Lula e convocar novas eleições, não tratava de decretar estado de sítio no Brasil com uma canetada. Segundo ele, o documento se tratava de uma proposta que

Brasil precisa de mais testosterona, diz Nikolas Ferreira em ato pró-Bolsonaro no rio

O deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) disse que o Brasil precisa de "mais testosterona" e negou a necessidade de mais projetos de lei e emenda. Num discurso de pouco mais de cinco minutos, Nikolas fez ataques ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e elogiou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e o pastor Silas Malafaia.