Lula acusa de Lira de “imperador”. Parlamentar aponta “desinformação”

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

 

Deborah Hana Cardoso

 

São Paulo �?? O Solidariedade oficializou apoio à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República, em ato no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Paulo. Durante seu discurso, Lula fez duras críticas ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmando que o parlamentar tem um �??poder imperial�?� no Congresso Nacional. �??Ele [Arthur Lira] já está querendo criar o semipresidencialismo, já quer tirar o poder do presidente para que o poder fique na Câmara dos Deputados. Ele age como se fosse o imperador do Japão.�?� Lira reagiu: �??Eu posso ser comparado um imperador, mas nunca a um ditador�?�.

 

Lula ainda citou as emendas de relator-geral (RP9), também conhecidas como orçamento secreto ou paralelo. �??Ele [Arthur Lira] acha que pode mandar administrando o orçamento. O orçamento é aprovado pela Câmara, pelo Congresso e administrado pelo governo, e é para isso que o governo é eleito. �? o governo que decide cumprir o orçamento aprovado pela Câmara em função da realidade financeira do Estado brasileiro�?�, defendeu.

 

Segundo Lira, o petista não tem o que dizer sobre ele, pois não o conhece pessoalmente. �??O presidente Lula não tem o que falar sobre o deputado Arthur Lira porque ele não me conhece e nunca conversou comigo, nunca tomou um café, nunca bateu um papo, nunca tive um prazer ou o desprazer de estar com ele. Então, eu não costumo falar ou emitir juízo sobre pessoas com quem eu não conversei.�?�

 

Para o presidente da Câmara, Lula vem cometendo atos falhos o tempo todo. �??Querer me comparar, dizendo que eu sou poderoso, ao imperador do Japão, ele [Lula] comete um ato falho com a política mundial muito grave. Ele bateu no primeiro-ministro do Japão [Fumio Kishida], que tem poder no país�?�, disse. �??Eu não tenho projeto de longo prazo. Meu mandato de presidente se encerra em fevereiro de 2023, e tenho a possibilidade de me reeleger jurídica e constitucionalmente. Falar de semipresidencialismo como golpe é desconhecimento ou má informação. Falar de mim sem conhecer, é má-fé�?�, destacou.

 

Ainda de acordo com Lira, ao tocar na pauta do semipresidencialismo, Lula cometeu um ato de grosseria, “uma desinformação�?�, antes mesmo do resultado das eleições de outubro. �??Ele [Lula] não pode querer pautar antes de ser eleito ou não o que este Congresso vai debater. Todos vocês estão calejados de saber, nós queremos uma proposta de debate, e uma comissão está formada para um assunto de implementação em 2030, se for aprovado�?�, disse, em referência ao grupo de trabalho que debate semipresidencialismo na Câmara.

 

Apoio do Solidariedade

 

Victor Correia

 

São Paulo �?? O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força (SP), afirmou que resolve a reforma trabalhista em “dois meses” caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja eleito. A legenda recebeu Lula e seu candidato a vice, Gerald Alckmin (PSB), em evento na capital paulista para oficializar apoio à chapa. Paulinho disse ainda que está sendo perdido muito tempo com polêmicas, como “uma vaia ali, uma �??Internacional�?? [socialista] dali, uma reforma trabalhista”.

 

“Até brinquei com o [deputado federal] Marcelo Ramos (PSD): ‘Esquece esse negócio de reforma trabalhista’. Ganha a eleição, e eu e o Marcelo resolvemos dentro da Câmara em dois meses”, disse Paulinho, dirigindo-se a Lula. “Isso é besteira. Só joga água contra o nosso moinho, essa história de revogar a reforma trabalhista. Nós sabemos como fazer, a [presidente do PT] Gleisi [Hoffmann] também sabe”.

 

Lula se comprometeu, caso seja eleito, a revogar a reforma trabalhista aprovada no governo Michel Temer (MDB) para criar nova reforma, segundo o ex-presidente, baseada no que foi feito na Espanha �?? a fim de retomar os direitos perdidos. “Na boa, mesmo do jeito que está lá nós aprovamos uma PEC [proposta de emenda à Constituição] que o Marcelo Ramos fez que reforma a estrutura sindical. Passamos na Comissão de Constituição e Justiça com 83% dos votos, até a direita votou conosco. Então fica tranquilo com isso”, reforçou Paulinho da Força a Lula.

 

�??VIT�?RIA�?� Já o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin disse, ao discursar, que o apoio do Solidariedade a Lula era o �??prenúncio da vitória�?�. �??O mundo do trabalho deu ao Brasil o seu maior líder popular: Luiz Inácio Lula da Silva�?�, afirmou. Segundo o ex-tucano, �??no tempo do Lula, o salário mínimo cresceu muito acima da inflação, o povo consumiu, a economia avançou, o emprego cresceu�?�. E continuou: �??Hoje, a gente vê um ajuste fiscal acima do mais pobre e não repõe nem a inflação, pois a inflação de alimentos, de comida, é muito mais alta. O tomate está 116% mais alto, o preço dos alimentos, da carestia�?�. Alckmin reforçou: �??A esperança do Brasil é o presidente Lula�?�. 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Estados do Sul e Sudeste assinam pacto contra o crime organizado

Estados do Sul e do Sudeste firmaram no sábado, dia 2, um Pacto Regional de Segurança Pública para enfrentar o crime organizado. Um gabinete integrado de inteligência será criado para compartilhar informações e os policiais farão cursos conjuntos para aumentar a integração entre as forças de segurança e padronizar procedimentos e técnicas. O pacto propõe

Ministros do STF veem ilegalidade em anistia a Bolsonaro e preveem derrubada de medida

MATHEUS TEIXEIRABRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) afirmam nos bastidores que não há chance de uma possível anistia a Jair Bolsonaro (PL) ou a condenados por participação nos ataques de 8 de janeiro ter validade e ser implementada para livrar o ex-presidente e seus aliados de eventual julgamento na corte.

Barbeiro de 20 anos é condenado a 11 anos e seis meses de prisão por participar do 8 de Janeiro

O Supremo Tribunal Federal (STF) condenou nesta sexta-feira, 1º, o barbeiro piauiense João Oliveira Antunes Neto a 11 anos e seis meses de prisão por participação nos atos golpistas de 8 de Janeiro. Antunes Neto tem 20 anos, e além de barbeiro, se identifica como um "jovem cristão pregador do evangelho de Jesus Cristo". O