Autores da própria história: jovens indígenas gravam websérie sobre cotidiano

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Um grupo de 20 jovens indígenas de quatro povos se reuniu na aldeia Wani Wani, na Terra Capoto-Jarina, no Mato Grosso, com uma missão: se tornarem narradores da própria história. Durante 13 dias, o grupo aprendeu sobre técnicas do audiovisual e refletiu sobre a importância da comunicação como ferramenta para defender e fortalecer os direitos dos povos originários. 

O produto final dos encontros é uma websérie, composta por sete curtas-metragens, que lançada nesta terça-feira (9), Dia Internacional dos Povos Indígenas, no canal do YouTube do Instituto Raoni. O curso foi realizado entre os meses de maio e junho contou com oficinas e práticas audiovisuais coordenadas pelos cineastas indígenas Kamikia Kisedje e Arewana Juruna e pelo cineasta Simone Giovine. 

Os curtas misturam cenas do cotidiano das aldeias, com partes encenadas,  entrevistas em português e em línguas nativas, cenas que resgatam a história, preservam a cultura e contam em primeira pessoa ao espectador sobre a vida de povos indígenas no Brasil. O workshop de comunicação foi promovido pelo Instituto Raoni, uma organização do povo indígena Kayapó, com apoio da ONG Conservação Internacional (CI-Brasil). O objetivo principal da atividade foi formar comunicadores e fortalecer a rede de divulgação de informações e de colaboradores que atuam no território Capoto-Jarina, na Região Centro-Oeste. 

“Poder trabalhar com as ferramentas audiovisuais nos trouxe muitos sentimentos e uma vontade de cada vez mais produzir. A mensagem que deixo para outros jovens indígenas que querem trabalhar com essas ferramentas é que não desistam. Busquem caminhos que possam te ajudar a entendê-las e compreender a linguagem do branco para depois repassar isso para a sua linguagem, para o seu mundo. Precisamos dar visibilidade à causa, à diversidade e à valorização dos comunicadores indígenas através dessa ferramenta que traz tantos sentimentos”, destaca Matsi Waura Txucarramãe, de 28 anos, um dos participantes do workshop.
 
A iniciativa ocorre em um momento de diversos desafios para os povos indígenas. Paralisação da demarcação das suas terras, desmatamento desenfreado e o crescimento do garimpo ilegal são alguns exemplos dos problemas enfrentados diariamente. Segundo dados do censo do IBGE realizado em 2010, o Brasil abriga 817.963 mil indígenas de 305 etnias e que falam 274 línguas. A maioria dessa população é de jovens, grupo que, com iniciativas como a deste workshop, atua cada vez mais como porta-voz de seus povos.
 
As oficinas de formação em comunicação promovidas pelo Instituto Raoni são apoiadas pela CI-Brasil dentro do projeto Nossas Futuras Florestas – Amazônia Verde. A iniciativa tem como objetivo fortalecer organizações e povos indígenas através de ações relacionadas à conservação, comunicação, direitos, políticas sociais, desenvolvimento de lideranças, entre outros temas. O Nossas Futuras Florestas – AV é realizado em parceria com a Coordenadoria das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica (Coica, em espanhol) e o governo francês.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Bolsonaro chega acuado a ato e busca demonstrar força política contra investigações

MARIANNA HOLANDA E GABRIELA BILÓBRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Jair Bolsonaro (PL) aposta mais uma vez numa manifestação na avenida Paulista, em São Paulo, para tentar demonstrar seu capital político. Neste domingo (25), o ex-presidente tem como principal objetivo apresentar um retrato de que mantém apoio popular e, dessa forma, reagir ao avanço das investigações sobre

Influenciador português que entrevistou Bolsonaro diz ter sido detido pela PF no Brasil

O influenciador português Sérgio Tavares, que recentemente entrevistou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em uma live em seu canal no YouTube, postou um vídeo em seu perfil no X (antigo Twitter) em que diz ter sido detido pela Polícia Federal (PF) no Aeroporto de Guarulhos (GRU) ao desembarcar no Brasil, na manhã deste domingo, 25.

Em último ato na Paulista, Bolsonaro chamou Moraes de canalha e atacou urnas e o STF

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deve discursar na tarde deste domingo, 25, em um ato convocado após ele se tornar alvo de investigação sobre tentativa de golpe de Estado. A manifestação vai ocorrer na Avenida Paulista, em São Paulo, uma via pública conhecida como palco de atos políticos - e não será a primeira vez