Pinhalzinho terá eleição suplementar em 30 de outubro

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

O município de Pinhalzinho, no interior de São Paulo, terá eleição municipal suplementar no dia 30 de outubro, mesma data do segundo turno das eleições gerais. O pleito ocorre depois de a candidatura de Tião Zanadi, que venceu as eleições para a prefeitura, ser indeferida pela Justiça Eleitoral paulista devido à inelegibilidade decorrente da Lei da Ficha Limpa (LC 64/90), em virtude de condenação por crime contra a administração pública.ebcebc

De acordo com a Resolução TRE-SP 594/22, aprovada no dia 28 de julho, estão aptos a votar eleitoras e eleitores em situação regular e com domicílio eleitoral no município até 4 de maio de 2022.

Candidatos ou candidatas à prefeitura, além do domicílio eleitoral, devem ter filiação partidária até 6 meses antes da eleição. O prazo para apresentação do pedido de registro de candidatura termina em 27 de setembro e a propaganda eleitoral é permitida a partir de 3 de outubro.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Cesta básica: governo sugere lista de 15 alimentos com alíquota zero

A proposta de regulamentação da reforma tributária entregue pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad, à Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (24/4) prevê isenção das alíquotas do IBS e da CBS sobre alimentos que compõem a cesta básica. O plano, no entanto, limita o número de produtos isentos a 15. Há no texto uma priorização a

Moraes arquiva ação de suposto asilo de Bolsonaro na Embaixada da Hungria

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes concluiu que não há evidências que comprovem que Jair Bolsonaro (PL) buscou asilo na Embaixada da Hungria, em Brasília, em fevereiro deste ano. Como revelou o The New York Times, o ex-presidente passou dois dias na missão diplomática em Brasília

PMs da operação escudo viram réus acusados de matar homem desarmado

São Paulo — Dois policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) viraram réus após o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) aceitar nesta quarta-feira (24/4) a denúncia do Ministério Público que diz que os PMs mataram um homem desarmado e plantaram uma pistola na cena de um crime ocorrido em julho de 2023