Ucrânia afirma que nove mil civis morreram na guerra; 453 eram crianças

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Adndiy Yermak, chefe da delegação ucraniana, também apresentou um levantamento que mostra que 80 mil crimes de guerra foram cometidos pela Rússia

AFP

mortes de civis na Ucrânia

Pessoas prestam homenagens às vítimas de ataque em Dnipro

Um balanço realizado pelo governo da Ucrânia e divulgado nesta terça-feira, 17, apontou que mais de nove mil civis já morreram na guerra que está prestes a completar onze meses. Desse total, 453 eram crianças. Os números foram apresentados no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Adndiy Yermak, chefe da delegação ucraniana, também apresentou um levantamento que mostra que 80 mil crimes de guerra foram cometidos pela Rússia desde o dia 24 de fevereiro de 2022, quando as tropas de Vladimir Putin invadiram o Leste Europeu. “Não esqueceremos um só ato de tortura nem uma só vida tirada. Cada um dos criminosos será responsabilizado”, afirmou Yermak. O número apresentado pelo ucraniano diverge do que a Organização Mundial das Nações Unidas (ONU) fala. Segundo eles, sete mil civis morreram até agora, porém, eles reconhecem que o número pode ser bem maior, já que não tem acesso às cidades controladas por soldados ucranianos. Essa declaração vem em um momento em que o número de mortos vítimas de um ataque em Dnipro subiu para 44. A Rússia nega que tenha sido a autora do bombardeio. O prefeito de Dnipro, Borys Filatov, declarou que este número pode aumentar e informou que as equipes de resgate fazem o possível para encontrar as pessoas que continuam desaparecidas entre os grandes blocos de concreto. O atentado foi um dos mais mortais cometidos contra civis desde o início da invasão russa da Ucrânia em fevereiro de 2022.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Governo Milei não discrimina estudantes brasileiros, diz embaixador na Argentina

BUENOS AIRES, ARGENTINA, E SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O embaixador do Brasil na Argentina, Julio Bitelli, afirma que não há discriminação contra brasileiros por parte do governo de Javier Milei, diante de relatos que indicam que o país estaria sendo mais rígido nos últimos meses e barrando estudantes que tentam entrar sem visto. Ainda

Pais são presos por forçar criança de 12 anos casar por 3.000€ na Espanha

A Guardia Civil espanhola deteve a mãe e o padrasto de uma adolescente, de 12 anos, de Malagón, que ia ser obrigada a casar em troca de 3.000 euros (cerca de R$ 17 mil), em Granada, na Espanha. Em comunicado, esta segunda-feira (26), a Guardia Civil revela que a operação teve início no final do

Em Washington, militar se incendeia em frente à Embaixada de Israel

O homem que se incendiou em frente à embaixada de Israel em Washington, nos Estados Unidos, no domingo (26), faleceu em decorrência das queimaduras, segundo a i24 News. A identidade da vítima foi confirmada como Aaron Bushnell, membro da Força Aérea norte-americana. Um vídeo do incidente mostra Bushnell, vestido de uniforme, se aproximando do portão