Império de Barões do Vinho tem adega da fortuna e R$ 20 mi em carrões

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

A megaoperação deflagrada pela Polícia Federal (PF), na última quinta-feira (30/11), contra quadrilha dedicada ao descaminho de bebidas alcoólicas de origem estrangeira atingiu cifras milionárias em apreensão. Segundo dados da corporação, o bando teve o sequestro de 113 veículos de luxo e 30 imóveis, com avaliação estimada em R$ 20 milhões.

Durante os 50 mandados de busca a apreensão cumpridos nos municípios gaúchos de Venâncio Aires, Lajeado, Estrela, Cruzeiro do Sul, Aceguá, Bagé, Jaguarão, Pelotas, Morro Redondo, nas cidades paulistas de São Paulo e Tarumã, na cidade do Rio de Janeiro (RJ) e em Belo Horizonte, em Minas Gerais, os investigadores também localizaram R$ 2.114.525,88 em espécie.

Nos endereços, havia grande quantidade de bebidas importadas. No total, quatro pessoas foram presas, entre eles, o principal investigado, flagrado em Belo Horizonte.

A ação, batizada de Operação Afluência indica que o grupo criminoso age de forma estruturada ao menos desde janeiro de 2019, tendo movimentado mais de R$ 62 milhões com a venda das bebidas ilegais.

Veja como foi a ação da PF:

Destilados e vinhos Conforme apurado, o núcleo central da organização criminosa encontra-se estabelecido na região do Vale do Taquari, possuindo como principal atividade ilícita o descaminho de bebidas destiladas e vinhos, introduzidos ilegalmente em território nacional por meio das fronteiras com a Argentina (vinhos) e Uruguai (destilados).

O grupo criminoso contava com a participação de fornecedores e intermediários para aquisição dos produtos diretamente com os proprietários de free shops uruguaios ou das lojas de vinhos argentinas. O pagamento era realizado em dinheiro ou mediante utilização de “doleiros”.

Após ingressarem em território nacional, as bebidas eram transportadas aos depósitos do grupo criminoso e posteriormente remetidas a grandes atacados estabelecidos nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

As cargas de bebidas eram transportadas em veículos próprios da organização, especialmente carretas e caminhões, acondicionadas sob outros produtos, como grãos e frutas. Outra forma de envio das mercadorias ocorria por meio de empresas transportadoras com utilização de notas fiscais ideologicamente falsas, emitidas por empresa ligadas ao grupo, para acobertar a carga de bebida remetida.

Para receber os valores pela venda das mercadorias, a organização criminosa valia-se de contas tituladas por dezenas de pessoas físicas e jurídicas (“laranjas”), como concessionárias e locadoras de veículos, construtoras, postos de combustíveis e do ramo de cigarros. Os proprietários dessas empresas, “misturavam” os recursos ilícitos, mesclando-os com recursos de origem legítima de suas empresas.

Afluência O nome da operação refere ao estado de quem expressa riqueza (sinais de riqueza exteriores dos principais investigados).

Também está relacionado ao excesso de movimentação de pessoas ou de coisas que se direcionam para o mesmo local, no caso, a utilização de contas bancárias de terceiros e outorga de procurações, “movimentos” que convergem para uma mesma pessoa (alvo principal). Assim, tem-se a “Afluência” de capitais.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Acusado de estuprar turista no Carnaval passará por audiência de custódia, detalha delegada

Em entrevista à imprensa na noite desta quarta-feira (28), a delegada Bianca Andrade, titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), situada na Casa da Mulher Brasileira, na Avenida Tancredo Neves, falou sobre a prisão do suspeito de estuprar uma mulher na terça-feira de Carnaval nas proximidades do circuito Osmar (Campo Grande). A vítima

DF registrou mais de 3 mil internações de pacientes com dengue em 2024

Este ano, mais de 3 mil pessoas já foram internadas na rede pública de saúde do Distrito Federal por causa da dengue. Desse total, 226 pacientes precisaram ser admitidos em unidades de terapia intensiva (UTI). Os dados são da Secretaria de Saúde do DF (SES-DF). No total, a rede pública de saúde já recebeu 3.043

MP-BA, TCE e TCM anunciam novidades para painel dos festejos juninos em 2024; coleta de dados começará no dia 18

Em 2024, o painel da transparência dos festejos juninos na Bahia terá nova edição. A meta é coletar e disponibilizar informações dos investimentos de todos os 417 municípios com atrações artísticas. A ferramenta foi lançada oficialmente nesta terça-feira (27), em reunião na sede do Tribunal de Contas do Estado (TCE). O painel é uma parceria