Juiz suspende contrato de coleta de lixo em Valença e empresa volta a fazer serviço

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Uma decisão da 2ª Vara Cível de Valença, no Baixo Sul, suspendeu um contrato entre a prefeitura e a empresa até então responsável pela coleta de lixo na cidade. A medida foi tomada pelo juiz Leonardo Rulian Custódio, que suspendeu o contrato emergencial com a Renova Serviços de Coletas Especializados Eireli.

 

Segundo o Blog do Valente, parceiro do Bahia Notícias, a medida faz retomar o serviço pela empresa LMR, que tinha vencido uma licitação anterior e moveu um mandado de segurança para ter direito à preferência. Ainda segundo o blog, a LMR havia sido contratada em caráter provisório para prestar o serviço até a contratação de uma nova empresa via licitação.

 

Como o procedimento não havia sido feito e outra empresa tinha sido contratada em regime emergencial, a LMR entrou na Justiça. A empresa alega que no dia 24 de novembro, a prefeitura de Valença publicou um contrato emergencial com a Renova, sem qualquer aviso, notificação ou justificativa. 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Michelle na Paulista: “O assassinato da nossa reputação é diário”

São Paulo — A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro (PL) foi a primeira a discursar no ato convocado para este domingo (25/2) na Avenida Paulista, em São Paulo (SP), convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Emocionada, chorou ao falar com o público que chamou de “exército de Deus, de homens e mulheres, exército de patriotas que não desistem

Polícia Militar apreende drogas em Candeias

Policiais Militares da 10ª CIPM apreenderam drogas em Candeias, na manhã de sábado (24). Os oficiais realizavam patrulhamento na Rua Alto do Dendê, no bairro Santo Antônio, quando avistaram um homem em atitude suspeita, em posse de uma bolsa.   Após abordagem, os policiais encontraram 64 porções de cocaína, 38 pedras de crack e dinheiro

Vale-transporte: TJSP autoriza volta das integrações do Bilhete Único

São Paulo – O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) determinou que a gestão Ricardo Nunes (MDB) volte a permitir que os usuários do Bilhete Único na modalidade vale-transporte possam fazer até quatro integrações no período de três horas, como ocorria até 2019. A regra tinha sido alterada pelo então prefeito Bruno Covas (PSDB), que