Professor é preso no interior baiano acusado de importunação sexual contra alunas

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Um professor foi preso em Amargosa, no Recôncavo, acusado de importunação sexual contra alunas. Nesta quarta-feira (21), uma equipe da delegacia local cumpriu o mandado de prisão preventiva contra o docente. Segundo a Polícia Civil, seis vítimas foram identificadas e prestaram depoimento.

 

As adolescentes são alunas do professor em uma escola da cidade. As investigações começaram em setembro do ano passado.

 

“Assim que chegaram as primeiras denúncias, já iniciamos as coletas de depoimentos e demais diligências investigativas, as quais resultaram no pedido de prisão preventiva do suspeito”, informou o delegado Marcos Maia, titular de Amargosa.

 

As vítimas foram encaminhadas para atendimento psicossocial. Já o professor segue detido à disposição da Justiça. “É importante que outras pessoas que tenham sido abusadas pelo autor, que nos procurem para realizar o registro da ocorrência”, acrescentou o delegado.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Com adição de Camaçari, quatro cidades com possibilidade de segundo turno acumulam 25,9% do eleitorado baiano

Nas eleições deste ano, a Bahia terá quatro municípios com possibilidade de segundo turno. Camaçari entrou para a lista recentemente, até 2020 apenas Salvador, Feira de Santana e Vitória da Conquista estavam neste quadro. De acordo com a Constituição Federal, o segundo turno é possível em municípios com mais de 200 mil eleitores.    As

Ônibus voltam a circular em Salvador após 4h de atraso

Os rodoviários da concessionária Ótima Transporte (OT) voltaram a circular na manhã desta quinta-feira (25), após atrasarem as saídas da garagem localizada no bairro Campinas de Pirajá, em Salvador. O serviço voltou a operar às 8h, ou seja, quatro horas após o normal.   O motivo da paralisação, segundo a categoria, foi uma assembleia feita

Aluno que agrediu menino em escola é ameaçado: “Sangue com sangue”

São Paulo — A mãe de um menino que foi flagrado em um vídeo agredindo Carlos Teixeira, morto aos 13 anos após estudantes pularem sobre as costas dele em uma escola estadual de Praia Grande, afirmou que o filho recebeu ameaças de morte e que ele está “destruído” emocionalmente. Ao G1, a mulher disse que