Ataques israelitas em Rafah matam 13 pessoas

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Israel tem efetuado ataques aéreos quase diários a Rafah, onde mais de metade da população de Gaza, 2,3 milhões de habitantes, procurou refúgio dos combates em outros locais.

O primeiro ataque matou um homem, a mulher e o filho de 3 anos, segundo o Hospital do Kuwait, que recebeu os corpos.

A mulher estava grávida e os médicos conseguiram salvar o bebê, disse o hospital, segundo a agência norte-americana AP.

O segundo ataque matou oito crianças e duas mulheres, todas da mesma família, de acordo com os registos hospitalares.

Na noite anterior, um ataque aéreo em Rafah matou nove pessoas, incluindo seis crianças.

A guerra entre Israel e o Hamas provocou mais de 34.000 mortos em Gaza, segundo as autoridades sanitárias locais, devastou as duas maiores cidades do território e deixou uma faixa de destruição de norte a sul.

Cerca de 80% da população fugiu de casa para outras áreas, cuja população, segundo os peritos, está à beira da fome.

Israel culpa o Hamas pelas mortes de civis, porque os militantes combatem em bairros residenciais densos, mas os militares raramente comentam os ataques individuais, que muitas vezes matam mulheres e crianças.

Os militares israelitas afirmam que mataram mais de 13.000 combatentes do Hamas, sem fornecer provas.

O conflito, agora no sétimo mês, provocou uma agitação regional que opõe Israel e os Estados Unidos ao Irã e a grupos militantes aliados em todo o Oriente Médio.

No início de abril, Israel e o Irã trocaram tiros diretos, fazendo temer uma guerra total entre os inimigos de longa data.

As tensões também aumentaram na Cisjordânia ocupada por Israel.

As forças israelitas afirmaram que neutralizaram dois palestinos que atacaram um posto de controle com uma faca e uma arma perto da cidade de Hebron, no sul da Cisjordânia, ao início do dia de hoje.

Não ficou imediatamente claro se os dois atacantes foram mortos. Nenhum elemento das forças israelitas ficou ferido.

Pelo menos 469 palestinos foram mortos por soldados e colonos israelitas na Cisjordânia desde o início da guerra em Gaza, de acordo com o Ministério da Saúde palestiniano.

A guerra em curso foi desencadeada por um ataque sem precedentes do Hamas no sul de Israel, em 07 de outubro de 2023, que fez cerca de 1.200 mortos e 250 reféns.

Israel afirma que os militantes ainda mantêm cerca de 100 reféns e os restos mortais de mais de 30.

Leia Também: Aliado de Trump compara Biden a cadáver levado a banco no Brasil

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Putin descarta tomar 2ª maior cidade da Ucrânia agora

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta sexta (17) que suas forças querem estabelecer uma zona tampão no norte da região ucraniana de Kharkiv para proteger a população do sul de seu país, e não tomar "neste momento" a capital regional homônima, segunda maior cidade ucraniana. A frase, de

Exército israelense anuncia que corpos de três reféns foram recuperados em Gaza

O Exército israelense anunciou nesta sexta-feira (17), que suas tropas recuperaram os corpos de três reféns na devastada Faixa de Gaza, e que teriam sido “assassinados” pelos seus sequestradores. Os três reféns que foram sequestrados estavam em uma festa rave, que acontecia no dia dos ataques terroristas do Hamas, em 7 de outubro. “Na noite

Israel diz ter recuperado corpos de mais 3 reféns na Faixa de Gaza

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As forças de Israel recuperaram na noite de quinta-feira (16) mais três corpos de reféns que foram levados por terroristas do Hamas para a Faixa de Gaza, anunciaram nesta sexta (17) autoridades do país. As vítimas teriam sido assassinadas no dia 7 de outubro enquanto tentavam fugir do festival de