CBF afasta três árbitros do Brasileirão após polêmicas da primeira rodada

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos


FTA20190428435

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) afastou três árbitros do Brasileirão após as polêmicas na primeira rodada. O trio é composto por Flávio Rodrigues de Souza (Vasco x Grêmio), André Luiz Skettino (Atlético-GO x Flamengo) e Yuri Elino (Corinthians x Atlético-MG). A medida é para que eles passem por aperfeiçoamento após apresentarem desempenhos abaixo do esperado. Eles vão passar pelo Programa de Assistência ao Desempenho da Arbitragem (Pada), que envolve treinamentos e testes até que sejam avaliados com condições de voltar a jogos.  Após a passagem pelo Pada, o retorno será em divisões inferiores Posteriormente, os árbitros podem retornar à Série A.

Apesar da decisão se tratar de um afastamento dos profissionais, A evita tratar o caso como afastamento e não vai comentar publicamente a medida para não “expor os árbitros”. Não há prazo para o retorno do trio afastado após a decisão da CBF. Dos 10 jogos disputados, apenas três contaram com árbitros do quadro da Fifa. Um deles foi a própria vitória do Vasco, já que Flávio Rodrigues de Sousa é árbitro da Fifa. Os outros foram Bráulio da Silva Machado (Fifa-SC) e Rodrigo José Pereira de Lima (Fifa-PE) responsáveis pelas partidas mandadas por Vitória e Internacional, respectivamente.

A rodada de estreia do Brasileirão foi marcada por polêmica. na vitória do Flamengo por 2 a 1 contra o Atlético-GO o clube goiano reclama das expulsões de Maguinho e Alix Vinicius, além do técnico Jair Ventura, ainda no começo da partida. Já a equipe carioca cobrou um cartão vermelho para Alejo Cruz, que recebeu amarelo após uma entrada em Ayrton Lucas. O presidente do Atlético-GO criticou as decisões do campo e chegou a definir a arbitragem como “uma máfia”.

No empate por 0 a 0 entre Corinthians e Atlético-MG, a polêmica maior foi uma falta cometida por Fagner. O lateral atingiu Guilherme Arana e, em seguida, em uma entrada com a sola da chuteira, Matías Zaracho, e ficou apenas com o amarelo. Battaglia, do Atlético-MG, porém, foi expulso por reclamação. Após a partida, o técnico corintiano, António Oliveira, também recebeu o cartão vermelho ao apontar erros do árbitro.

A vitória do Vasco por 2 a 1 contra o Grêmio não envolveu polêmicas de expulsões, mas, sim, por pênaltis não marcados. No primeiro lance, Lucas Piton chegou a prender a bola entre o braço e o corpo. O VAR acionou o árbitro, mas foi mantida a decisão de que não houve penalidade. Em outro lance, já no segundo tempo, Rodrigo Ely chutou um atacante vascaíno em uma dividida dentro da área. Nada foi marcado.

*Com informações do Estadão Conteúdo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Santos perde João Paulo para o restante da temporada e vai atrás de outro goleiro

O Santos terá um desfalque importante para o restante da temporada. O goleiro João Paulo sofreu uma lesão grave no tornozelo esquerdo, rompendo o tendão de Aquiles durante a partida contra o América-MG. O jogador precisará passar por cirurgia, e o tempo estimado de recuperação é de seis a oito meses. O lance no qual

De ponta a ponta, monegasco Charles Leclerc vence em casa pela primeira vez na Fórmula 1

O piloto monegasco Charles Leclerc (Ferrari) venceu neste domingo (26) o Grande Prêmio de Mônaco pela primeira vez em sua carreira na Fórmula 1, na 8ª etapa da temporada 2024. A equipe italiana aproveita o momento para faturar a segunda vitória na temporada 2024. “Foi a corrida que me fez sonhar em um dia ser

Jogador do América-MG é criticado por ‘gol sem fair play’, mas companheiro chama santistas de ‘hipócritas’

Os jogadores do Santos ficaram revoltados com o primeiro gol do América-MG em jogo realizado nesta sexta-feira (24), no estádio Independência, pela Série B do Campeonato Brasileiro, e que terminou com vitória mineira por 2 a 1. Aos 14 minutos do primeiro tempo, o atacante Renato Marques americano foi driblado por João Paulo, mas aproveitou