Estados Unidos retomam sanções contra Venezuela após candidatos de oposição serem bloqueados das eleições

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos


000 34nk6qm

Os Estados Unidos decidiram não renovar a licença 444 que alivia as sanções sobre o petróleo e gás da Venezuela, anunciaram nesta quarta-feira (17) as autoridades. “Depois de uma revisão minuciosa da situação atual na Venezuela, os Estados Unidos determinaram que Nicolás Maduro e seus representantes não cumpriram plenamente os compromissos assumidos no acordo eleitoral” assinado com a oposição em outubro, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Mateus Miller. Portanto, a licença geral 44, que autoriza a produção e venda de petróleo e gás, “vencerá a 0h01 deste 18 de abril.” O Escritório para o Controle de Ativos Estrangeiros (Ofac), que responde ao Departamento do Tesouro, emitiu outra licença, a 44A, para “a liquidação de transações pendentes até 31 de maio”.

A decisão é uma punição ao presidente Nicolás Maduro por ter impedido que opositores disputem as eleições e prendido políticos e ativistas. O governo do presidente Joe Biden reconhece que “Maduro e seus representantes” honraram alguns compromissos, mas “impediram que a oposição democrática registrasse o candidato que escolheu, perseguiram e intimidaram opositores políticos e prenderam injustamente atores políticos e membros da sociedade civil”, disse Miller. Contudo, os norte-americanos também alertam que a retomada das sanções “não deve ser vista como uma decisão final, em que já não acreditamos que a Venezuela possa realizar eleições competitivas e inclusivas”, disse um funcionário americano, acrescentando que os Estados Unidos continuarão “interagindo com todas as partes, incluindo os representantes de Maduro, a oposição democrática, a sociedade civil e a comunidade internacional”.

Autoridades venezuelanas definiram um calendário eleitoral e concordaram com missões de observação internacionais nas eleições de 28 de julho, nas quais Maduro disputará o terceiro mandato. Mas “ficaram aquém em diversas áreas”, como “a inabilitação de candidatos e partidos por motivos técnicos”, afirmou hoje um funcionário americano, que não quis ser identificado.

*Com informações da AFP

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

“Escalada chocante”: escola judaica em Toronto é alvo de tiros

Pouco antes das 05h00 da madrugada de sábado (25), foram disparados tiros contra a escola primária feminina Bais Chaya Mushka, no bairro de North York, no norte da cidade de Toronto, no Canadá, disse o inspetor da polícia Paul Krawczyk, numa conferência de imprensa. Os suspeitos saíram de um veículo de cor escura e "abriram

Expectativa de vida mundial volta para patamar de 2012 por causa da Covid-19

Quatro anos depois de a Covid-19 ser declarada uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), um novo relatório foi divulgado, trazendo à luz o profundo impacto que a doença teve na expectativa de vida em todo o mundo. De acordo com o informe anual da OMS, houve uma redução significativa na expectativa de vida

Israel bombardeia Rafah apesar de ordem do Tribunal de Haia e anuncia ‘intenção’ de retomar negociações

Israel bombardeou a cidade de Rafah neste sábado (25), considerada crucial em sua guerra contra o Hamas, apesar da ordem da Corte Internacional de Justiça (CIJ) para suspender as operações na região sul da Faixa de Gaza. Testemunhas relataram bombardeios israelenses em Rafah, Khan Yunis, também no sul, e na Cidade de Gaza, no norte.