Governo proíbe pastores de promover conversão de detentos e veda dízimo nos presídios

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

O Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP), vinculado ao Ministério da Justiça, aprovou uma resolução que reforça a liberdade religiosa dentro dos presídios e proíbe explicitamente a cobrança de contribuições financeiras, como dízimos, por parte dos detentos às instituições religiosas.

A norma, que foi publicada no Diário Oficial da União nesta segunda-feira (29), visa promover um ambiente de respeito e tolerância entre diversas crenças no sistema penitenciário.

Principais pontos da resolução:

  • Proibição de Discriminação Religiosa: A resolução assegura que não haverá discriminação religiosa nos estabelecimentos prisionais, garantindo que os detentos possam praticar suas crenças religiosas, com locais apropriados designados para atividades religiosas.
  • Vedação ao Proselitismo Religioso: Um ponto central da discussão, a resolução proíbe qualquer tentativa de converter detentos a uma religião diferente da que professam ou de persuadir presos sem religião a adotar uma, enfatizando o respeito pela liberdade individual de crença.
  • Acesso de Grupos Religiosos: Enquanto grupos religiosos têm livre acesso aos presídios, suas visitas não devem visar a conversão de detentos. A assistência sócio-espiritual é permitida, desde que não seja usada para fins disciplinares ou para estabelecer privilégios.
  • Proibição de Contribuições Financeiras: A resolução proíbe explicitamente que detentos sejam obrigados a fazer contribuições financeiras, como o pagamento de dízimos, a entidades religiosas dentro dos espaços de privação de liberdade. Este ponto visa eliminar qualquer forma de exploração financeira sob o pretexto religioso.

Base legal e contexto:

Esta resolução se apoia na Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, que assegura o direito à liberdade de pensamento, consciência e religião, e é reforçada pelo artigo 19 da Constituição Federal do Brasil, que proíbe qualquer aliança entre o Estado e instituições religiosas. A Lei de Execução Penal também é citada, garantindo a assistência religiosa aos presos e a liberdade de culto.

O CNPCP, ao promover estas diretrizes, destaca a importância de proteger os direitos dos detentos, evitando a imposição e exploração religiosa dentro do sistema penitenciário.

The post Governo proíbe pastores de promover conversão de detentos e veda dízimo nos presídios appeared first on Fuxico Gospel.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Ex-pregadora famosa expõe agressões; “meu pedido de socorro”

A ex-pregadora Karla Mioto fez um forte desabafo recentemente em suas redes sociais, acusando o pai de sua filha de tê-la agredido. Ela postou imagens em que aparece com hematomas no rosto, especialmente na boca. Nos stories do seu perfil no Instagram, ela mostrou as feridas e disse que não tinha como mostrar mais evidências

Após 500 dias, governo Lula segue sem fechar igrejas evangélicas

Desde que Luiz Inácio Lula da Silva assumiu a presidência em 1º de janeiro de 2023, já se passaram 516 dias de seu mandato. Durante a campanha eleitoral de 2022, muitos líderes religiosos e apoiadores de Jair Bolsonaro levantaram preocupações de que o governo Lula poderia fechar igrejas evangélicas e limitar a liberdade religiosa no

Marcha para Jesus acontece hoje com shows de Thalles, Aline, Jefferson e Suellen e mais 14 atrações

Nesta quinta-feira (30), a cidade de São Paulo será palco da 32ª edição da Marcha para Jesus, um dos maiores eventos cristãos do Brasil. Coincidindo com o feriado de Corpus Christi, a marcha terá início às 10h, partindo da Estação Luz do Metrô, no Centro da capital. Organizada pela Igreja Renascer em Cristo, a Marcha