Socialite bilionária de 88 anos acusa ex-motorista de mantê-la presa em apartamento no Rio

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Os vizinhos da socialite Regina Gonçalves, de 88 anos, no Edifício Chopin, endereço luxuoso na Avenida Atlântica, em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, estranharam a falta de notícias dela desde dezembro.

Segundo os familiares, ela teria sido mantida em cárcere privado pelo seu ex-motorista particular, José Marcos Chaves Ribeiro, de 53 anos, com quem tinha uma união estável. Em janeiro, ela teria conseguido escapar para casa de um irmão. “Eu vivia em cativeiro, sem contato com ninguém”, afirmou ao Fantástico deste domingo, 28.

Ribeiro não foi encontrado pela reportagem do programa da Globo. Os advogados da defesa também não quiseram se pronunciar. À Justiça, Ribeiro alegou que os dois viveram um relacionamento amoroso e apresentou uma escritura de união estável registrada em 2021. Na época, Marcos estava com 50 anos; Regina tinha 85.

De acordo com o documento, apresentado ao programa, os dois estavam em pleno uso de suas faculdades mentais. Foram apresentados dois atestados psiquiátricos para comprovar a saúde dela. Na escritura consta que a declaração dos dois foi registrada em vídeo.

Ela diz que não se lembra de ter assinado papel algum. A notícia de um romance causou estranhamento na família.

Regina viveu com José Marcos Ribeiro por 14 anos. No dia 2 de janeiro deste ano, ela afirma que conseguiu sair sozinha e foi para casa do único irmão vivo, que também mora em Copacabana. Segundo a socialite, a saída foi uma fuga. “Resolvi fugir para por um final nisso”, declarou. A Justiça concedeu a medida protetiva a Regina, e José Marcos tem que ficar no mínimo 250 metros longe da socialite.

O marido declarou à Justiça que Regina só saiu de casa porque teve “um surto decorrente de seu estado frágil e de confusão mental”. Mesmo com a medida protetiva, ele conseguiu na Justiça o direito de ser o curador dela, com poderes pra administrar o patrimônio da socialite.

Hoje existem duas decisões judiciais. Na área criminal, José Marcos está proibido de se aproximar da socialite. Na área cível, ele é o responsável por administrar os bens de Regina.

Regina é viúva do proprietário dos baralhos Copag, Nestor Gonçalves, e não tem filhos. Nestor, por sua vez, deixou como herança o apartamento no Edifício Chopin e outros imóveis, incluindo uma fazenda em Angra dos Reis, também no Rio. Em 1994, a herança foi de R$ 2,5 bilhões.

Leia Também: Gusttavo Lima interrompe espetáculo após mulher ser agredida

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Prefeitura de Salvador lança projeto Bike Comunidade em quatro bairros; confira detalhes

A Prefeitura, por meio do Movimento Salvador Vai de Bike (MSVB), inaugurou quatro novas unidades do Projeto Bike Comunidade, no Cassange, Jardim Campo Verde, Coração de Maria e Nova Esperança, nesta quarta-feira (29). O evento de inauguração aconteceu na Praça Parque Sítio das Palmeiras, em Cassange, com direito a música, diversão infantil, oficinas, palestra, entre

Lily Allen diz que David Harbour controla quais aplicativos ela tem no celular

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Para tentar controlar o acesso a redes sociais, Lily Allen não tem o celular mais tecnológico. A cantora britânica afirmou que usa um modelo infantil e que seu marido, o ator americano David Harbour, controla quais aplicativos ela pode ter no aparelho. "O telefone não tem capacidade de navegação nem

Violão tocado por John Lennon é vendido por R$ 14,5 milhões

O violão usado por John Lennon na gravação do álbum e do filme Help!, em 1965, foi leiloado por US$ 2.857 milhões pela Julien’s Auctions. O valor arrecadado equivale a cerca de R$ 14,5 milhões.  Com 12 cordas, o modelo Hootenanny foi fabricado na Alemanha e se tornou o instrumento mais caro da história dos